São Bento

 

Resultado de imagem para são bento

Fonte da imagem: http://colegiosaobentosalvador.com.br/wp content/uploads/2015/07/Sao-Bento-abade-7a-229×300.jpg

História

São Bento nasceu em Núrsia, Úmbria, por volta de 480. A história da sua vida chega até nós através dos Diálogos de São Gregório Magno. Educado em Roma, abandonou as “coisa do mundo” e fez a primeira experiência de vida como eremita (monge solitário).

Posteriormente foi para a região de Subiaco e de seguida dirigiu-se para Montecassino, onde construiu o célebre mosteiro, iniciando a vida cenobítica (comunitária). Escreveu a célebre Regra monástica que, propagada por todos os países, fez com que São Bento fosse denominado Patriarca do monaquismo no Ocidente.

A Regra funde, em bela harmonia, a experiência ascética dos orientais, a sabedoria romana com o espírito e a sabedoria evangélica. Une oração e trabalho – ora et labora -, quer manual, quer intelectual, sob a orientação do abade (pai). Tudo na Regra é simplicidade e prudência, severidade e brandura, liberdade e sujeição.

Um bom monge era aquele que não era soberbo nem violento, «nem comilão, nem dorminhoco, nem preguiçoso, nem murmurador…»  Não é de estranhar que o emblema monástico tenha passado a ser a cruz e o arado. Os Beneditinos espalharam-se pela Europa e converteram-na a Cristo, conservando a sua unidade religiosa.

Por isso, São Bento foi proclamado pelo Papa Paulo VI, em 1964, como o principal padroeiro da Europa. Morreu a 21 de Março de 547; contudo, desde fins do século VIII, em várias regiões, celebrava-se a sua memória a 11 de Julho.

A Medalha de São Bento

Resultado de imagem para oração de são bento

Fonte da imagem: http://www.arcanjomiguel.net/oracao_sao_bento.html

A origem da Medalha de São Bento

Conta-se que as feiticeiras da Baviera, acusadas das suas maldades contra o povo daquela região, confessaram ver os seus feitiços inteiramente anulados pelo poder da cruz; e que em todos os lugares onde estivesse a cruz os seus malefícios nunca logravam efeito.

E contaram que, especialmente no mosteiro de Metten, nunca conseguiram êxitos nas suas maldades e concluíram que isso se devia à existência de alguma cruz naquele lugar. Por causa disso, as autoridades locais foram consultar os monges da abadia de Metten sobre o assunto.

Depois de muito procurar, constataram de facto que o mosteiro estava repleto de cruzes gravadas nas paredes e com uma inscrição acima delas. Era preciso descobrir o porquê disso e por quem as cruzes foram gravadas. As suas investigações levaram-nos à biblioteca, a um livro antigo, escrito por ordem do abade Pedro, no ano de 1415. O livro transcrevia escritos antiquíssimos, entre eles, vários sobre a cruz, com inúmeros desenhos a bico de pena realizados por um monge anónimo.

Significado da Medalha de São Bento

A medalha de São Bento, difundida no mundo inteiro desde o século VIII, foi aprovada pelo Papa Bento XIV em 1742. Até hoje a medalha que usamos traz numa face a figura de São Bento, tendo nas mãos a Regra que escreveu e a cruz com a qual operou tantos milagres.

Numa face está escrito:

CRUX SANCTI PATRIS BENEDICTI

CRUZ DO SANTO PAI BENTO

Na outra face há uma cruz. No traço vertical as letras C.S.S.M.L. e no horizontal as letras N.D.S.M.D., que significam respectivamente:

CRUX SACRA SIT MIHI LUX

A CRUZ SAGRADA SEJA A MINHA LUZ

NON DRACO SIT MIHI DUX

NÃO SEJA  O DRAGÃO O MEU GUIA

 

Em torno da cruz, à volta da medalha, estão as letras V.R.S.N.S.M.V.S.M.Q.L.I.V.B., iniciais da oração:

VADE RETRO SATANA, NUNQUAM SUADE MIHI VANA, SUNT MALA QUAE LIBAS, IPSE VENENA BIBAS

RETIRA-TE, SATANÁS, NUNCA ME ACONSELHES COISAS VÃS;

É MAU O QUE TU OFERECES, BEBE TU MESMO O TEU VENENO.

Oração a São Bento para obter a santidade

Deus nosso Pai, concedei-nos pelo exemplo de São Bento, abade, a graça de o imitar em toda a sua vida, para que possamos colocar no centro do nosso coração Jesus Cristo, Redentor e Salvador do mundo.

Que a Sua cruz seja o coração do nosso coração e quem ela nos ajude a assumir fielmente o nosso compromisso baptismal. Para vivermos na liberdade de filhos de Deus, renunciamos ao pecado.

Para vivermos como irmãos e irmãs, renunciamos a tudo o que nos possa desunir, para que o pecado não domine sobre nós. Para seguir Jesus Cristo, renunciamos ao demónio, autor e princípio do pecado.

Nós cremos em Deus, Pai Todo-Poderoso, Criador do Céu e da Terra. Nós cremos em Jesus Cristo, Seu único Filho, Nosso Senhor, que nasceu da Virgem Maria, padeceu e foi sepultado, ressuscitou dos mortos e na vida eterna.

Deus nosso Pai, concedei-nos, pela intercessão de São Bento, que possamos ser firmes nos caminhos do Cristo pobre, humilde e obediente. Possamos, também, seguir a nossa vocação cristã com fidelidade e chegar à perfeição que nos propusestes em Vosso Filho. Nós Vos pedimos esta graça em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Ámen.

Reza-se um Pai Nosso, uma Ave-Maria e um Glória ao Pai.

Oremos:

Ó Deus, que com tantos e tamanhos privilégios honrastes a preciosa morte do gloriosíssimo patriarca São Bento, concedei, assim vo-lo pedimos, que à hora da nossa morte sejamos defendidos das ciladas do inimigo pela presença daquele cuja memória celebramos.

Por Jesus Cristo, Nosso Senhor. Ámen.

 

 

FONTE: Lima, António Lúcio da Silva; “Novena a São Bento”; Paulus Editora; Lisboa; ISBN: 978-972-30-1812-7

Advertisements