Santa Margarida Maria Alacoque

Margarida Maria, nasceu no dia 22 de julho de 1647, em Vérosvre, pequena vila,Lautecour na Borgonha, próxima de Paray-le-Monial, é a quinta filha entre sete irmãos. Seu pai, Cláudio Alacoque, notário real,morre em 1655, e amãe,

sacro-in-cor-iesus-et-sancta-margarida-maria-alacoque

Filiberta Lamyn, era filha também dum notário do rei , François Lamyn, devido as dificuldades, leva Margarida com oito anos, para o pensionato das religiosas de Charolles, onde permanece por pouco tempo, mas o sufisciente para ser tocada pela graça de Deus. Dois quatros aos sete anos, ou seja seguindo um costume comum na época, foi morar no castelode sua Madrinha , Madame de Corcheval, dama nobre da região. Ali, num ambiente sereno e austero, começou a sua formação.
A jovem Margarida Maria foi completar , depois da morte de sua madrinha e seu pai, junto das irmãs Clarissas a educação.Entretanto,no pensionato das Clarissas, Margarida Maria contraiu uma doença grave. Por um grande periodo de anos fica impedida de movimentos, devido a uma estranha doença; entretanto consagra-se à Santíssima Virgem, prometendo-lhe que, “se me curasse, havia de ser um dia uma de suas filhas”. E assim aconteceu, curada da doença Margarida recebeu a proteção da Santíssima Virgem, que lhe ensinava a cumprir a vontade de Deus.
O tempo passa e Margarida, distrai-se da promessa e aos vinte anos, o Senhor reacende fortemente o seu coração com uma chama viva de amor no seu coração, trazendo o desejo da vida religiosa. No dia 20 de Junho de 1671 deu entrada no Mosteiro de Paray, e o seu coração dilatou de alegria. Após um periodo de postulantado, no dia 25 de Agosto de 1671, Margarida Maria recebe o hábito da Visitação. Escreve em sua autobiografia:”Meu divino Mestre fez-me ver que era chegado o tempo dos nossos esponsais,….me traziam dobrada obrigação de O amar com amor de preferência”. No dia 6 de Novembro de 1672 foi o dia da profissão perpétua.Diz: “O meu divino Senhor houve por bem receber-me por sua esposa,….Desde então agraciou-me com sua divina presença”.
Aparti dai o Senhor da-lhe grandes ensinamentos,sobre seus mistérios, Paixão, e Morte e um grande amor à Cruz, e grandes revelações do seu Coração.

A primeira revelação, é no dia 27 de Desembro de 1673, festa de São João. Diz:”-Estava diante do Santíssimo,….e encontrava-me toda possuída daquela divina presença, e tão fortemente, que me esqueci de mim mesma e do lugar em que estava: entreguei-me então àquele divino Espírito, pondo meu coração à mercê da força do amor. Fez-me repousar por largo tempo em seu divino peito; e ali me descobriu as maravilhas do seu amor e os segredos insondáveis do seu Sagrado Coração,…..Disse-me Ele:“-O meu Divino Coração está abrasado de amor para com os homens, e em particular para contigo, que, não podendojá conter em si as chamas de sua ardente caridade, precisa derramá-las por meio de ti, e manifestar-se-lhes para os enriquecer de seus preciosos tesouro, que Eu te mostro a ti, os quais contêm a graça santificante, as graças salutares indispensáveis para os apartar do abismo da perdição; e escolhi-te a ti, como abismo  de indignidade e ignorância, para a realização deste grande designio, para que tudo seja feito por mim”.

Numa sexta -feira, do inicio do ano 1674, apresentou o seu Divino Coração, como num trono de Chamas, mais brilhante que um sol e transparente como cristal. Ladeado duma coroa de espinhos, simbozando as feridas feitas pelos nossos pecados, e com uma cruz, que significava que desde o primeiro instante da sua Incarnação, isto é, desde o primeiro momento em que foi formado este Sagrado Coração, a cruz esteve plantada nele”. Relata a Santa Margarida Maria.
No mês de Junho do mesmo ano, próximo da festa de Corpus Christi, conta nos que:”….quando estava o Santíssimo exposto, depois de me ter sentido retirada dentro de mim mesma, com um recolhimento muito grande de todos os meus sentidos e potência, Jesus Cristo, meu doce Mestre, apareceu-me todo radiante de glória com suas cinco chagas, brilhantes como cinco sóis; e a sua sagrada humanidade lançava chamas de todos os lados, mas sobretudo de seu Sagrado peito, que parecia uma fornalha: abrindo-o, descobriu-me seu amantíssimo e amabilíssimo Coração, que era a fonte viva daquelas chamas. Foi então que Ele me mostrou as maravilhas inexplicáveis do seu puro amor, e o excesso a que ele tinha chegado em amar aos homens, de quem não recebia senão ingratidões e friezas”.
“Eu serei a tua força, disse-me Ele; não tenhas receio, mas atende á minha voz e ao que Eu te pedir, para te dispores ao cumprimento de meus desígnios”.

Assim veio o periodo das provações e santa Margarida Maria, passa pelas provas de sofrimento, contradições e humilhações, tentações e desamparos próprio de todos os santos, em conformidade com o Cristo sofredor. Neste caminho de sofrimento e de purificação, para a missão, a Santíssima Virgem Maria, consola, acompanha sempre com palavras de conforto alento e ânimo.

A grande revelação, manifesta-se, em Junho de 1675:
“Estando uma vez diante do Santíssimo Sacramento, num dia da sua oitava, recebi de Deus graças muito grandes do seu amor… Então, descobrindo o seu Divino Coração, disse-me: “Eis aqui este Coração que tanto tem amado aos homens, que a nada se tem poupado até se esgotar e consumir para lhes testemunhar o seuamor; e em reconhecimento não recebo da maior parte deles senão ingratidões por meio das irreverências e sacrilégios, tibiezas e desdéns que usam para comigo neste Sacramento de amor. E o que muito mais me custa ainda, é serem corações a Mim consagrados os que assim me tratam.

Por isso peço-te que a primeira sexta-feira depois da oitava do Corpo de Deus seja dedicada a festa especial para honrar o Meu Coração, comungando nesse dia, e dando-lhe a devida reparação….E Eu te prometo que o Meu Coração se dilatará, para derramar com abundância as influências de seu divino amor sobre os que lhe tributarem esta honra, e procurarem que lha tributem”.

A missão de Santa Margarida Maria Alacoque
A missão foi dar impulso e difusão universal a devoção ao Sagrado Coração,fixando as práticas de piedade e reparação.Santa Margarida Maria foi uma simples freira que nunca transpôs os muros do seu convento e morreu antes de completar 45 anos, em 1690. Viveu uma vida apagada aos olhos dos homens e até das freiras visitadinas com as quais convivia. Mas aos olhos de Deus Pai,foi levada ao ápice de glória na Igreja e do alto dos altares da sua santidade despede raios de salvação à terra inteira.

 

Exigências da santidade de Deus:diz ela no numero 51 de sua biografia:

“Meu divino Mestre deu-me uma vez esta lição, depois de uma falta  que eu tinha cometido.”Sabe, disse, que eu sou um Mestre Santo, que ensina a santidade. Sou puro, e não posso sofrer a menor mancha. Por isso é necessário que procedas em simplicidade de coração, com uma intenção recta e pura na minha presença. Eu não posso sofrer o mínimo desvio; e far-te-ei conhecer que, se o excesso do amor me levou a fazer-me teu Mestre, para te ensinar e te modelar à minha feição e segundo os meus desígnios, não posso tolerar as almas tíbias e frouxas; e, se sou bondoso em suportar tuas fraquezas, não serei menos severo e exacto em corrigir e punir as tuas infidelidades”.

Isto mesmo é o que Ele me tem feito experimentar bem, por toda a vida, porque posso dizer que não me deixava passar a mínima falta, em que houvesse um nadinha de vontade própria ou de negligência, sem me repreender e castigar, ainda que sempre com sua misericórdia e bondade infinita.

Devo contudo confessar que nada me era tão doloroso e terrível como vê-Lo agastado comigo, por pouco que fosse. Todas as minhas dores, correções e mortificações não eram nada em comparação desta; e isto era o que me levava logo a pedir penitências por minhas faltas, porque Ele contentava-se com as que a obediência me dava. Mas o que mais severamente repreendia, era a falta de respeito e de atenção diante do Santíssimo Sacramento, sobretudo no tempo do ofício e da oração, as faltas de rectidão e de pureza de intenção, e curiosidade vã.

Ela deve suprir pela ingratidão dos homens.:numero 56

30050A“Mas ao menos tu fá-me esse gosto de suprires pela ingratidão deles, quanto puderes e fores capaz”. E representando-lhe eu a minha incapacidade, respondeu-me: “Toma, aí tens com que suprir tudo o que te falta”. E ao mesmo tempo, abrindo-se aquele divino Coração, saiu dele tão ardente chama, que eu pensei que me ia consumir, porque toda me penetrou, e já não podia aguentar; por isso lhe pedi tivesse compaixão na minha fraqueza. “Eu serei a tua voz e ao que Eu te pedir, para te dispores ao cumprimento de meus desígnios”.

O Senhor pede-lhe que comungue com a maior freguência que possa, e particularmente nas primeiras sextas-feiras. Hora Santa. numero 57:

“Primeiramente me hás-de receber no SS. Sacramento, sempre que a obediência to quiser conceder, por mais mortificações e humilhações que daí te hajam de vir. Deves recebê-las como penhores do meu amor. E, além disso, hás-de comungar todas às primeiras sextas-feiras de cada mês; e todas as noites da quinta para sexta-feira far-te-ei participar daquela mortal tristeza que Eu quis sentir no Horto, tristeza que te há-de reduzir a uma espécie de agonia mais angustiosa que a morte”.

“E para me acompanhares na humilde oração que Eu então apresentei a Meu Pai, no meio de todas as minhas angústias, levantar-te-ás entre as onze horas e a meia-noite, para comigo te prostrares durante uma hora, com o rosto em terra, assim para aplacar a ira divina, pedindo misericórdia para os pecadores, como para adoçar de alguma maneira a amargura que Eu sentia com o desamparo em que me deixavam meus apóstolos, o qual me obrigou a lançar-lhes em rosto não terem podido velar uma hora comigo,(Esta é a origem divina da devoção reparadora, conhecida por Hora Santa.), e nessa hora farás tudo o que Eu te ensinar”.

“Mais ouve, minha filha; não creias levemente em todo o espírito, e não te fies dele; porque o domónio anda raivando com o fim de te enganar. Por isso, não hás-de fazer nada sem a aprovação dos que te governam, para que, tendo tu a autorização da obediência, ele te não possa enganar, porque não tem nenhum poder sobre os obedientes”.

Quer Deus humildade e sinceridade na confissão. numero 63:

Como eu me estava a preparar para a confissão anual, com grande ansiedade de descobrir meus pecados, disse-me o meu Divino Mestre: “Porque te atormentas assim? Faz o que está na tua mão, que Eu suprirei o que faltar; porque E u neste sacramento nenhuma coisa quero tanto, como um coração contrito e humilhado, que, com vontade sincera de não mais me ofender, se acuse sem doblez:e com essas disposições perdoo imediatamente, seguindo-se assim uma perfeita reparação”.

A HORA SANTA.
Foi pedida pelo Coração de Jesus a Santa Margarida Maria, com a promessa de muitas graças. É uma hora passada em oração, recordando a agonia de Jesus no Horto. Pode ser feita em qualquer lugar, e tanto em particular como em comum, quer na Igreja, quer em nossas casas, de preferência de quinta para sexta-feira, desde as duas horas da tarde, ainda que o ideal seja das onze à meia-noite.
Faz-se uma vez por mês, pelo menos.
É uma hora de reparação pelos nossos pecados e pelos pecados do mundo, em especial da nossa família e da nossa Pátria.
Se estivermos na Igreja façamo-la diante do SS. Sacramento se for em casa será junto do Coração de Jesus. A´lém das orações, podemos fazer pausas de silêncio para meditarmos.

DEVOCIONÁRIO:

Em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amen.
Coração Santíssimo de Jesus, eis-nos aqui prostrados diante da Vossa Divina Majestade. Ao recordamos os Vossos benefícios e as nossas ingratidões, ficamos envergonhados, confundidos e penetrados de dor. Compreendendo os nossos deveres e confessando as nossas culpas, imploramos a clemência do Vosso Coração aberto e clamamos cheios de arrepedimento: Perdão Jesus perdão.

Para os nossos pecados, para os dos nossos parentes, irmãos e amigos, perdão Jesus perdão.
Para as blasfémias, para os sacrilégios e profanações do domingo, perdão Jesus perdão.
Para os pecados de impureza, para os escândalos, para as infidelidades dos casados, para os pecados dos filhos e negligências dos pais, perdão Jesus perdão.
Para os ódios, rancores, calúnias, invejas, roubos, injustiças, covardias e respeitos humanos, perdão Jesus perdão.
Para as infidelidades dos sacerdotes e outras almas consagradas, perdão Jesus perdão.
Para os insultos e profanações feitas às Vossas imagens, para as irreverências feitas à Sagada Eucaristia, para os desacatos cometidos nos vossos templos, perdão Jesus perdão.
Para todos os destruidores da inocência das crianças, perdão Jesus perdão.
Para todos os que apostaram da Fé, perdão Jesus perdão.
Para todos os governos que procuram substituir a Lei do Vosso Evangelho pelo ateísmo e religiões falsas, perdão Jesus perdão.

Ó Coração de Jesus esmagado por causa dos nossos pecados. Coração entristecido e martirizado por tantos crimes e faltas; Coração vítima de todas as iniquidades, eu Vos amo com toda a minha alma e acima de todas a coisas; eu Vos amo por aqueles que vos ultrajam e Vos impedem de reinar; eu Vos amo por todos aqueles que vos deixam sozinho no Santíssimo Sacramento dos nossos altares; eu Vos amo pelas almas ingratas que ousam profanar o Vosso Sacramento de Amor com os sacrilégios e insultos. Coração de Jesus perdoai aos pecadores, eles não sabem o que fazem! Coração de Jesus, ajudai os que propagam o Vosso Santo Nome!
Coração de Jesus, ajudai os que sofrem e lutam! Coração de Jesus, fazei que a sociedade se inspire em tudo no Evangelhe, única salvaguarda da Justiça e da paz! Coração Sagrado de Jesus, que, as famílias e as nações proclamem os Vossos direitos!Coração de Jesus, reinai na nossa Pátria! Coração de Jesus, pelo Coração Imaculado de Maria, venha a nós o Vosso Reino! Amén.

Perdão, ó meu Deus; Perdão e indulgência; Perdão e clemência; Piedade e perdão.
Segue-se a recitação dos Mistérios Dolorosos do Santíssimo Rosário. No fim reza-se a Ladainha do Sagrado Coração de Jesus, depois que  a seguinte oração:
ORAÇÃO:
Deus todo poderoso e sempiterno, lançai um olhar sobre o Coração do Vosso Filho e atendei aos louvores e satisfações que Ele, em nome dos pecadores, Vos oferece e, deixando-Vos aplacar, perdoai benignamente aos que imploram a Vossa Misericórdia, em nome deste mesmo Filho Jesus Cristo, que, sendo Deus, convosco vive e reina pelos séculos dos séculos.Amén.

Hora Santa do Sagrado Coração

Advertisements