Santa Edviges

sem-tituloNo ano de 1174, a duquesa Edviges, filha do príncipe Bertoldo VI de Andech, Marquês de Meran e Conde do Tirol, duque da Caríntia e da Ístria . Sua mãe Inês, filhade Dedon V, senhor de Grojec na província de Leipzig, e de Bochlice sobre o Rio Mulda, e marquês da baixa Luzyce, território vizinho da Silésia. Neste lar tinham nascido oito filhos, quatro homens e quatro mulheres: o filho mais velho foi patriarca de Aquileia e  Arcebispo de Kalocs chamava-se Bertoldo, como o pai;  o segundo Eklberto foi bispo de Bamberg, Oto e Henrique seguiram a carreira militar. A irmã Gertrudes, casou com o rei André II, da Hungria, e foi mãe de Santa Isabel da Hungria. A outra irmã de nome Inês, contraiu núpcias com o rei Filipe Augusto, da França, num casamento que, embora considerado legítimo pelos Bispos franceses, mais tarde não foi reconhecido como válido pelo Papa.
A outra irmã de nome Matilde, foi religiosa e dirigiu a célebre abadia de Kitzingen, na Francônia.

Edviges recebeu a noticia de seus pais, aos 12 anos que deveria se casar com o príncipe herdeiro do ducado da Silésia, Henrique I, o Barbudo. O noivo escolhido pelos pais de Edviges era filho herdeiro de Boleslau I, da dinastia dos Piast. Ao que parece, Edviges desejava ser religiosa no convento em Kitzingen, mas obedeceu docilmente à vontade dos pais.

Contraiu bodas no ano de 1186, aos doze anos , e foi mãe pela primeira vez com treze anos, entretanto levava uma vida de oração e de moral cristã. Henrique e Edviges se amavam e se completavam harmonicamente. Henrique foi um grande administrador soberano sensato e prudente. Quanto a Edvigen, esposa e mãe amável, assumiu os seus deveres da Corte e de todos os domínios de seu marido. Era muito rica e poderosa, seu dote foi muito elevado, e seu esposo aceitou que Edvigen dispusesse livremente deles.
Graças à isso, ela pôde dispor de toda a sua riqueza, e todo o seu poder para a glória de Deus, e beneficio dos mais desfavorecidos do seu povo.
Fundou mosteiros, Igrejas e hospitais, e praticava heroicamente a autêntica caridade cristã, aliviando os sofrimentos dos mais necessitados, por amor a Nosso Senhor Jesus Cristo, e ao próximo.
Edvigen era mulher penitente, humilde e misericordiosa, nunca tomava vinho, por espírito de penitência, somente água morna. Edviges era uma mãe solícita para com seus seis filhos. Procurou educá-los numa sólida piedade, ensinou-lhes princípios de todas as virtudes, sua casa era uma Igreja doméstica.Mas nem tudo é perfeito, enfrentou grandes tribulações, Edvigen sofre muito mais suplica sempre a Deus e entrega-se a penitência e orações, aceitando submissa à vontade Divina, quando durante as guerras e nas perdas de seus entes queridos.

Henrique, seu esposo, fundou o mosteiro de Trebnitz. Depois de sua morte Edviges continuou sua obra. Fundou diversos mosteiros e sustentou suas sobrevivência com donativos generosos. Visitava regularmente estes mosteiros e socorria a todos com generosas esmolas. Edviges tinha em grande estima as pessoas consagradas a Deus na vida religiosa, considerando a todos como pessoas santas.

sem-tituloEdviges procurou imitar a humildade de Cristo, o seu exterior e interior revelavam a humildade que transparecia em seu coração. Desde a juventude não usava nada que denotasse riqueza ou luxos, sem por isso se apresentar como uma digna duquesa, mas sempre com sobriedade de uma alma cheia de Deus.
Embora sendo rainha, sobre sua cabeça não havia coroa ou véus luxuosos; no pescoço ou peito jamais trazia colares e nem anéis preciosos. Não encontrava-se nela qualquer sinal de vanglória ou ostentação.Somente nas solenidades grandes e que aparecia com roupas melhores mas sempre com sobriedade.

Desejando progredir sempre no caminho da humildade e no espírito de oração, transferiu-se do palácio para o mosteiro de Trebnitz, com poucos familiares, e ali serviu a Deus pelo resto de sua vida. Henrique também passou muitos anos de sua vida entre os filhos de São Francisco de Assis. Deixou crescer a barba como os frades e por isso ganhou o apelido de o ”Barbudo” Henrique o Barbudo. Continuou a governar a Silésia e a Polónia. Sentia-se feliz por ter uma esposa tão santa e desapegada, e imitava suas virtudes de santidade seguindo seus passos sendo conhecido por sua generosidade e devoção incomum.

A pobreza e a miséria que afligiam a maioria dos habitantes dessas regiões eram minoradas pela caridade de Santa Edviges. Ela era na verdade a mãe dos pobres, a advogada dos endividados, e passou pela terra fazendo o bem a todos . Todos os seus súditos elevavam as mãos aos céus agradecidos por terem tal duquesa, que em vez de ser alguém que os oprimia, era ao contrário um anjo que os protegia. Foi agraciada por Deus com dons extraordinários de cura , de profecia, e da revelação de coisas ocultas e prevê sua própria  morte.Faleceu em odor de santidade no dia 15 de Outubro de 1243, no mosteiro de Trebnitz. No dia de sua morte ocorreram grandes milagres e curas .

Ela foi glorificada por Deus pelos dons extraordinários recebidos em vida, na hora da sua morte e depois de sua morte. Deus exaltou-a com dons extraordinários ,e ainda mais foi amada em vida enquanto viva e depois de morta o pelo seu povo . E esse amor parece que cresceu ainda mais depois de sua passagem aqui pela terra , com o testemunhos de grandes milagres e de sua vida cheia santidade e de virtudes.
No dia 15 de Outubro de 1267, durante uma Missa Solene, celebrada com todas as pompa da liturgia católica, Clemente IV, sumo Pontífice declarou solenemente Edviges Santa, sua festa é celebrada dia 16 de Outubro. Desse momento em diante a nobre duquesa da Silésia e da Polónia seria chamada santa.

Oração a Santa Edviges

Protectora dos pobres e endividados
A Vós, Santa Edviges, que fostes na terra o amparo dos pobres e desvalidos e socorro dos endividados, no Céu onde gozais o eterno prémio da caridade que praticastes, confiante vo-lo peço:
Sede a minha advogada para que eu obtenha a graça de Deus que necessito, e por fim a graça suprema da salvação eterna. Assim seja! Ámen.
Santa Edviges, rogai por nós, pelos nossos irmãos prisioneiros e por todos os que passam dificuldades financeiras. Ámen.

Oração do Missal :

Nós vos pedimos, ó Deus omnipotente, que a intercessão de Santa Edviges nos obtenha a graça de imitar o que nela admiramos, pois a humildade de sua vida serve de exemplo para todos nós. Por Nosso Senhor Jesus Cristo que convosco vive e reina por todos os séculos. Ámen!

 

Advertisements