Revelação de Jesus a Santa Faustina Kowalska

 

Os 25 segredos da luta espiritual que Jesus revelou a Santa Faustina Kowalska, em Cracóvia no dia 2 de Junho de 1938, o Senhor Jesus ditou a uma jovem Irmã da Misericórdia . Faustina Kowalska registou minuciosamente instruções de Cristo em seu diário, que é um manual da  mística na oração e na misericórdia divina.

Jesus disse: ”Minha filha quero instruir-te sobre a luta espiritual”. E este foram os seus conselhos:

  1. Nunca confies em ti, mas entrega-te inteiramente à Minha Vontade.
  •  A confiança é uma arma espiritual. Ela é parte do escudo da fé que São Paulo menciona na Carta aos Efésios (6, 10-17): a armadura do cristão. O abandono à vontade de Deus é um acto de confiança; a fé em acção dissipa os maus espíritos.

2. Na desolação, nas trevas e diversas dúvidas, recorre a Mim e ao teu director espiritual; ele te responderá sempre em Meu Nome.

  • Em tempos de guerra espiritual, reze imediatamente a Jesus. Invoque o seu Santo Nome, que é muito temido pelo inimigo. Leve as trevas à luz contando tudo ao seu director espiritual ou confessor, e siga as suas instruções.

 

3. Não comeces a discutir com nenhuma tentação; encerra-te logo no Meu Coração.

  • No Jardim do Éden, Eva negociou com o diabo e perdeu. Precisamos recorrer ao refúgio do Sagrado Coração. Correr até Jesus é a melhor maneira de dar as costas ao demónio.

 

4. Na primeira oportunidade, conta-a ao confessor.

  • Uma boa confissão, um bom confessor e um bom penitente são a receita perfeita para a vitória sobre a tentação e a opressão demoníaca. Isso não falha!

 

5. Coloca o amor-próprio em último lugar, para que não contagie as tuas acções.

  • O amor-próprio é natural, mas precisa ser ordenado, livre de orgulho. A humildade vence o diabo, que é orgulho perfeito. Satanás nos tenta no amor-próprio desordenado, que nos leva à piscina do orgulho.

 

6. Com grande paciência, suporta-te a ti mesma.

  • A paciência é uma grande arma secreta que nos ajuda a manter a paz da nossa alma, inclusive nas grandes tempestades da vida. A paciência consigo mesmo é parte da humildade e da confiança. O diabo nos tenta à impaciência, a voltar-nos contra nós mesmos, de maneira que fiquemos com raiva. Olhe para você mesmo com os olhos de Deus. Ele é infinitamente paciente.

7. Não descuides as mortificações interiores.

  • A escritura nos ensina que alguns demónios só podem ser expulsos com oração e jejum. As mortificações interiores são armas de guerra. Podem ser pequenos sacrifícios oferecidos com grande amor. O poder do sacrifício por amor desaloja o inimigo.

 

8. Justifica sempre em ti, o juízo das Superiores e do Confessor.

  • Cristo falava a Santa Faustina, que morava num convento. Mas todos nós temos pessoas com autoridade sobre nós. O diabo tem como objectivo dividir e conquistar; então, a obediência humilde à autoridade autêntica é uma arma espiritual.

 

9. Foge dos que murmuram, como se da peste.

  • A língua é uma poderosa embarcação que pode causar muito dano. Estar murmurando ou fazendo fofoca nunca é de Deus. O diabo é um mentiroso que gera acusações falsas e fofocas que podem matar a reputação de uma pessoa. Rejeite as murmurações.

 

10. Deixa que todos procedam como lhes aprouver; age tu antes como estou a exigir-te.

  • A mente da pessoa é a chave na guerra espiritual. O diabo é um intrometido que tenta arrastar todo mundo. Procure agradar a Deus e deixe de lado as opiniões dos outros.

 

11. Observa a Regra o mais fielmente possível.

  • Jesus se refere à Regra de uma ordem religiosa aqui. Mas todos nós já fizemos algum tipo de voto ou promessa diante de Deus e da Igreja e precisamos ser fiéis a isso: promessas baptismais, votos matrimoniais, etc. Satanás nos tenta para nos levar à infidelidade, à anarquia e à desobediência. A fidelidade é uma arma para a vitória.

 

12. Se experimentares dissabores, pensa antes no que poderias fazer de bom pela pessoa que te faz sofrer.

  • Ser um canal da misericórdia divina é uma arma para fazer o bem e derrotar o mal. O diabo trabalha usando o ódio, a raiva, a vingança, a falta de perdão. Muitas pessoas já nos ofenderam. O que devolveremos em troca? Responder com uma bênção destrói maldições.

 

13. Evita a dissipação.

  • Uma alma faladeira será mais facilmente atacada pelo demónio. Derrame os seus sentimentos somente diante do Senhor. Os sentimentos são efémeros. A verdade é sua bússola. O recolhimento interior é uma armadura espiritual.

 

14. Cala-te quanto te repreenderem.

  • Todos nós já fomos repreendidos em algum momento. Não temos nenhum controle sobre isso, mas podemos controlar a nossa resposta. A necessidade de ter a razão o tempo todo pode nos levar a armadilhas demoníacas. Deus sabe a verdade. Deixe-a ir. O silêncio é uma protecção. O diabo pode utilizar a justiça própria para nos fazer tropeçar também.

 

15. Não peças a opinião a todos, mas do teu director: diante dele sê franca e simples como uma criança.

  • A simplicidade da vida pode expulsar os demónios. A honestidade é uma arma para derrotar Satanás, o mentiroso. Quando mentimos, colocamos um pé no terreno dele, e ele tentará nos seduzir mais ainda.

 

16. Não te desencorajes com a ingratidão.

  • Ninguém gosta de ser subestimado. Mas quando nos encontramos com a ingratidão ou com a insensibilidade, o espírito de desânimo pode ser um peso para nós. Resista a todo o desânimo, porque isso nunca vem de Deus. É uma das tentações mais eficazes do diabo. Seja grato diante de todas as coisas do dia e você sairá ganhando.

 

17. Não indagues com curiosidade os caminhos pelos quais te conduzo.

  • A necessidade de conhecer e a curiosidade pelo futuro são tentações que levaram muitas pessoas aos quartos escuros do Ocultismo. Escolha caminhar na fé. Decida confiar em Deus, que o leva ao caminho do céu. Resista sempre ao espírito de curiosidade.

 

18. Quando o enfado e o desânimo baterem à porta do teu coração, foge de ti mesma e esconde-te no Meu Coração.

  • Jesus entrega a mesma mensagem pela segunda vez. Agora Ele se refere ao tédio. No começo do Diário, Ele disse a Santa Faustina que o diabo tenta mais facilmente as almas ociosas. Tenha cuidado com isso, porque as almas ociosas são presa fácil do demónio.

 

19. Não tenhas medo da luta: a própria coragem muitas vezes afasta as tentações, que não ousa então acometer-nos.

  • O medo é a segunda táctica mais comum do diabo (a primeira é o orgulho). A coragem intimida o diabo; ele fugirá diante da perseverante coragem que se encontra em Jesus, a rocha. Todas as pessoas lutam, e Deus é nossa provisão.

 

20. Combate sempre com a profunda convicção de que eu estou contigo.

  • Jesus pede a Santa Faustina que lute com convicção. Ela pode fazer isso porque Cristo a acompanha. Nós, cristãos, somos chamados a lutar com convicção contra todas as tácticas demoníacas. O diabo tenta aterrorizar as almas, mas precisamos resistir ao seu terrorismo. Invoque o Espírito Santo ao longo do dia.

 

21. Não te guies pelo sentimento, porque ele nem sempre está em teu poder, porém todo o mérito reside na vontade.

  • Todo mérito radica na vontade, porque o amor é um acto da vontade. Somos completamente livres em Cristo. Precisamos fazer uma escolha, uma decisão para bem ou para mal. Em que lado vivemos?

 

22. Nas mínimas coisas sê sempre submissa às superioras.

  • Aqui, Jesus está instruindo uma freira. Todos nós temos o Senhor como nosso superior (representado também pelos padres, confessores, directores espirituais). A dependência de Deus é uma arma de guerra espiritual, porque não podemos ganhar por nossos próprios meios.

 

23. Não te iludo com perspectivas da paz, e de consolos, mas prepara-te antes para grandes batalhas.

  • Santa Faustina sofreu física e espiritualmente. Ela estava preparada para grandes batalhas, pela graça de Deus. Cristo nos instrui claramente na Bíblia a estar preparados para grandes batalhas, para revestir-nos da armadura de Deus e resistir ao diabo (Ef 6, 11).

 

24. Fica a saber que estás actualmente em cena e que toda a Terra e o Céu inteiro te observam.

  • Estamos todos num grande cenário no qual o céu e a terra nos olham. Que mensagem estamos dando com a nossa forma de vida? Que tonalidades irradiamos: luz? Escuridão? Cinza? A forma como vivemos atrai mais luz ou escuridão? Se o diabo não conseguir nos levar para a escuridão, tentará nos manter na categoria dos medíocres, do cinza, que não é agradável a Deus.

 

25. Luta como valorosos cavaleiros, para que eu possa recompensar-te; e não temas, porque não estás sozinha.

  • As palavras do Senhor a Santa Faustina podem se transformar em nosso lema: “Lute como um cavaleiro!”. Um soldado de Cristo sabe bem a causa pela qual luta, a nobreza da sua missão, conhece o Rei ao qual serve; e luta até o final, com a abençoada certeza da vitória.

 

Se uma jovem polaca, sem formação, uma simples freira, unida a Cristo, pode lutar como um cavaleiro, um soldado, todo cristão pode fazer o mesmo. A confiança é vitoriosa.

Ó NOSSA ÚNICA ESPERANÇA
Ó Hóstia Santa, nossa única Esperança em todos os sofrimentos e contrariedades da vida!
Ó Hóstia Santa, nossa única Esperança na vida na hora da nossa morte!
Ó Hóstia Santa, nossa única Esperança no meio das falsidades e das traições!
Ó Hóstia Santa, nossa única Esperança nas trevas e na impiedade que submergem a terra!
Ó Hóstia Santa, nossa única Esperança no meio da nostalgia e da dor, em que ninguém nos compreende!
Ó Hóstia Santa, nossa única Esperança no meio dos afazeres e no enfado da vida quotidiana!
Ó Hóstia Santa, nossa única Esperança no meio das ruínas dos nossos anseios e esforços!
Ó Hóstia Santa, nossa única Esperança no meio dos ataques do inimigo e das investidas do Inferno!
Ó Hóstia Santa, nossa única Esperança, confio em Vós, mesmo quando as dificuldades superarem as minhas forças e, se achar os meus esforços ineficazes! (Santa Faustina Kowalska).

 

Vida interior: – “Pedi hoje ao Senhor que se dignasse instruir-me sobre a vida interior; porque, por mim mesma, não posso compreender nem pensar nada de perfeito. O Senhor respondeu-me: – Fui Teu Mestre, sou e sê-lo-ei; procura fazer com que o teu coração se assemelhe ao Meu humilde e manso Coração. Não reclames nunca os teus direitos. Suporta todas as vicissitudes da vida com grande serenidade e paciência; não te defendas, quando, inocente, toda a vergonha recair sobre ti; permite antes que triunfem os outros. Não deixes de ser boa, quando perceberes que estão a abusar da tua bondade; sempre que necessário, Eu mesmo reclamarei  por ti. Sê grata ao menor dos Meus dons, porque essa gratidão obriga-Me a conceder-te novas graças”…(nº 1701 Diário de Santa Faustina).

Pedindo sabedoria:-“Ó meu Jesus dá-me sabedoria, concede-me uma mente aberta e iluminada pela Tua Luz, e isto unicamente para melhor Te conhecer, ó Senhor! Porque, quanto melhor Te conhecer, tanto mais ardentemente te amarei, único objecto do meu amor. Em Ti mergulha a minha alma, em Ti dissolve-se o meu coração. Não consigo amar apenas em parte, mas com toda a força da minha alma e com o total ardor do meu coração. Foste Tu mesmo, Senhor, Quem acendeste este meu amor para conTigo; em Ti se submergiu o meu coração para sempre”. (D. nº 1030).

Pedindo Temor de Deus: – “Ó Jesus, conserva-me em santo temor, para que eu não desperdice as graças. Ajuda-me a ser fiel às inspirações do Espírito Santo; permite antes que o meu coração se desfaleça, por amor a Ti, do que não corresponda a um só acto que seja do Teu amor”.(D. nº 1557).

Auxilio nas tentações: – “Hoje, depois da Sagr. Comunhão, Jesus deu-me novamente algumas orientações: Primeiro – não lutes sozinha com a tentação, mas conta-a imediatamente ao teu confessor e, assim, ela perderá toda a sua força. Segundo – nessas provações não percas a paz, vive na Minha Presença, pede o auxílio de Minha Mãe e dos Santos. Terceiro – tem a certeza de que Eu olho por ti e te apoio. Quarto – não tenhas medo, nem de lutas espirituais, nem de nenhumas tentações, porque Eu te sustento; desde que desejes lutar, deves saber que a vitória estará sempre do teu lado. Quinto – fica sabendo que, pelo combate valoroso, Me dás grande glória e cumulas méritos para ti. A tentação proporciona a ocasião de Me demonstrares fidelidade. (D. nº1560).

A Tristeza: – ” A tristeza não terá lugar no coração amante da Vontade de Deus. O meu coração, na saudosa ânsia de Deus, experimenta toda esta miséria do exílio. Mas prossigo corajosamente – mesmo que os pés se me firam – até à minha Pátria, e ao longo do caminho, vou-me sustentando com a Vontade de Deus – que é o meu alimento. Ajudai-me, também vós, os bem-aventurados habitantes da morada celeste, para que esta vossa irmã não vacile no caminho! Embora pavoroso o deserto, sigo de cabeça erguida, olhos fixos no sol, – ou seja, no misericordioso Coração de Jesus”. (D. nº 886).

Sobre Obediência: – “Numa prelecção sobre a obediência, ouvi estas palavras: – Nesta meditação, o sacerdote está a falar em particular para ti. Fica sabendo que Me sirvo da boca dele. Procurava escutar tudo com a maior atenção, aplicando-o ao meu coração como em todas as meditações. Quando o sacerdote proferiu as palavras acerca da alma obediente que se torna cheia do poder de Deus, <ouvi>: – sim, quando és obediente, retiro-te a tua fraqueza e, em compensação, dou-te a Minha força. Fico muito admirado por as almas não querem fazer essa troca coMigo. Eu disse ao Senhor: “Jesus, ilumina a minha alma, pois de outro modo também pouco compreenderei dessas palavras”.(D. nº 381).

 

 

Advertisements