Dialogo de Deus com a Alma Pecadora

Como em quase tudo na vida, é caminhando que se aprende a caminhar. e é a confessando-se amiúde e com propósito firme de se modificar que o cristão vai tornando a sua consciência mais delicada, não se refugiando em generalidades vazias.é importante reflectir para se confessar bem, com consciência concreta dos seus pecados. Não se pode aproximar deste Sacramento alegando que não tem pecados, antes fosse verdade! Aqui colocaremos apenas uma proposta de ajuda, para uma preparação, uma mirada no nosso espelho da verdade do que somos no nosso mais profundo ser.Lembrando sempre que quanto maior é o nosso pecado, maior ainda a misericórdia de Deus. Saber e confessar a verdade acerca de nós mesmos nos rebaixa mas engrandece-nos, porque a glória de Deus é o homem vivo e feliz sem culpa, para poder ama-Lo mais e melhor.

A Bondade Divina.
A Misericórdia de Deus, oculto no Santíssimo Sacramento, voz do Senhor que nos fala do trono da Misericórdia:-”Vinde a Mim todos vós”.

Diálogo de Deus misericordioso com a alma pecadora.

-Jesus: ”Alma pecadora, não tenhas medo do teu Salvador; Eu sou o primeiro a aproximar-Me de ti, pois sei que por ti mesma não és capaz de te elevar até Mim. Filhinha, não fujas  de teu Pai, dispões-te a dialogar a sós com o teu Deus de Misericórdia, que quer dizer-te palavras de perdão e cumular-te com graças. Oh, como me é querida a tua alma! Inscrevi-te nas Minhas mãos e gravada estás como chaga profunda no Meu Coração.

-A alma: ”Senhor; oiço a Tua voz que me chama, a fim de que me afaste do mau caminho, mas não tenho coragem, nem força”.
-Jesus:” Eu sou a tua força e dar-te-ei poder para o combate”.
-Alma: ”Senhor, reconheço como És Santo e sinto temor de Ti.”
-Jesus:” Minha filhinha, por que tens medo do Deus de Misericórdia? A minha Santidade não impede que seja misericordioso contigo. Vê, alma, como para ti coloquei o trono da Misericórdia na Terra- esse trono é o Tabernáculo, e dele desejo descer ao teu coração. Repara que não Me cerquei de séquito, nem de guardas, e tens acesso a Mim a todo o momento, em cada hora do dia, quero falar contigo e desejo conceder-te graças”.

-Alma: ”Senhor, receio que não me perdoes um tão grande número de pecados; a minha miséria enche-me de terror”.

-Jesus: ”A Minha Misericórdia é maior que as tuas misérias e as do mundo inteiro. Quem pode medir a extensão da Minha Bondade? Por ti desci do Céu à Terra, por ti permiti que Me pregassem na cruz, por ti consenti que fosse trespassado pela lança o Meu Sacratíssimo Coração e, assim, para ti aberta a Fonte de Misericórdia. Vem haurir graças dessa fonte com o vaso da confiança. Nunca rejeito um coração humilde. A tua miséria desaparece no abismo da Minha Misericórdia. Porque haverias de Comigo (disputar) a tua miséria? Dá-me antes a alegria de me entregares todas as tuas penas e toda a miséria, que Eu te cumularei com tesouros de graças”.

-Alma: ”Senhor, venceste o meu coração de pedra com a Tua Bondade. Eis que me aproximo do tribunal da Tua Misericórdia com confiança e humildade. Absolve-me, Tu mesmo, pela mão do Teu representante. Ó Senhor, reconheço bem como a graça e a paz desceram à minha pobre alma. Sinto que a Tua Misericórdia, Senhor, me envolveu completamente. E perdoaste-me, mais do que ousei esperar, ou fui capaz de supor. A Tua Bondade ultrapassou todos os meus desejos. E agora convido-Te ao meu coração, reconhecida por tantas graças. Como o filho pródigo, andei por caminhos errados, mas Tu não deixaste de ser meu Pai. Aumenta em mim a Tua Misericórdia, porque vês como sou fraca.”

-Jesus: ”Filhinha, não fales mais da tua miséria, porque já a esqueci. Ouve, Minha filhinha, o que te vou dizer: vem junto das Minhas Chagas e extrai da Fonte da Vida tudo o que o teu coração possa ansiar. Bebe abundantemente da Fonte da Vida e não desfalecerás no caminho. Contempla os esplendores da Minha Misericórdia e não temas os inimigos da tua salvação. Glorifica a Minha Misericórdia.”(diário de Santa Faustina nº1485)

Diálogo de Deus Misericordioso com uma alma desesperada.

-Jesus: Alma mergulhada em trevas, não desesperes, nem tudo está ainda perdido, entra em diálogo com o teu Deus, que é o Amor e a Misericórdia mesma.

Infelizmente, a alma permanece surda ao chamamento divino e mergulha em trevas ainda maiores. 
Jesus chama-a novamente: Alma, escuta a voz de teu Misericordioso Pai.
Na alma acorda a resposta: ”Para mim já não há misericórdia. ”E cai numa escuridão ainda maior, numa espécie de desespero, que lhe dá como que uma antecipação do Inferno e a torna inteiramente incapaz de se aproximar de Deus.
Jesus fala à alma pela terceira vez, mas ela mantém-se surda e cega, endurecendo-se pouco a pouco na obstinação e no desespero.
Então, recomeçam de certa maneira a esforçar-se as entranhas da Misericórdia divina e, sem nenhuma cooperação da alma, Deus dá-lhe a Sua derradeira graça. Se a desprezar, então Deus deixá-la-á pelos séculos nesse estado que ela mesma escolheu. Essa graça brota do misericordioso Coração de Jesus e atinge com a sua Luz a alma, começando assim esta a compreender o esforço de Deus, embora dependa dela o converter-se a Deus. Sabe que, para si, essa graça é a última e se mostrar um pouco de boa vontade- ainda que seja o mínimo- , a Misericórdia de Deus há-de realizar o resto.

-Jesus:” É assim que age a Omnipotência da Minha Misericórdia. Feliz a alma que fizer bom uso dessa graça.”
-Jesus:” Com que grande alegria se encheu o Meu Coração ao voltares a Mim! Vejo-te muito fraca e, por isso, tomo-te em Meus braços e levo-te para a casa de Meu Pai”.

-A alma, como que despertando: -”SERÁ POSSÍVEL QUE PARA MIM AINDA EXISTA MISERICÓRDIA?”- pergunta cheia de temor.

-Jesus: ”Tu, justamente tu, Minha filhinha, tens um particular direito à Minha Misericórdia. Deixa agir a Minha Misericórdia em ti, na tua pobre alma. Consente que os raios da Graça entrem na tua alma, trazendo luz, calor e vida.”

– Alma: ”No entanto, o temor invade-me só de me lembrar dos meus pecados, e esse horrível pavor leva-me a duvidar da Tua Bondade.”

-Jesus: ”Fica a saber, alma, que todos os teus pecados não feriram tão dolorosamente o Meu Coração como a tua actual desconfiança,- depois de tantos esforços do Meu Amor e Misericórdia, continuares a desconfiar da Minha Bondade!

-Alma: ”Senhor, socorre-me Tu mesmo, porque pereço. Sê para mim Salvador. Ó Senhor, nem sou capaz de dizer mais nada, dilacerado que está o meu pobre coração, mas Tu, Senhor…”
Jesus não permitiu que a alma pronunciasse mais palavras e, soerguendo-a da Terra, deste abismo de miséria, logo a introduz nas moradas do Seu próprio Coração, e todos os pecados imediatamente desapareceram consumidos pelo fogo do amor.

-Jesus: ”Aqui tens, alma todos os tesouros do Meu Coração, tira d’Ele tudo o que necessitares.”

-Alma: ”Senhor, encontro-me inundada pela Tua Graça, sinto que é uma nova vida que entra em mim, mas sobretudo experimento o Teu Amor no meu coração e isso basta. Senhor, glorificarei por toda a eternidade a omnipotência da Tua Misericórdia. Animada pela Tua Bondade, Te hei-de confiar toda a dor do meu coração.”

-Jesus: Filhinha, diz tudo em nenhumas restrições, porque te ouve um Coração amoroso, o Coração do teu melhor amigo.

-Alma: ”Senhor, considero agora toda a minha ingratidão e a Tua Bondade. Tu me perseguiste com a Graça e eu tornava inúteis os Teus esforços, e bem vejo que mereceria as profundezas do Inferno por ter desperdiçado tais Graças.”

Jesus interrompe a alma que falava- e diz: ”Não te absorvas na tua miséria, estás demasiado fraca para falar;é melhor que contemples o Meu Coração cheio de bondade; impregna-te dos Meus sentimentos e procura viver em mansidão e em humildade. Sê misericordiosa para com os outros, como Eu sou para contigo e, quando sentires que as forças te abandonem, vem à Fonte da Misericórdia e fortalece a tua alma, para assim não vires a desfalecer no caminho.

-Alma: ”Agora compreendo a Tua Misericórdia que me protege como uma nuvem luminosa e me conduz à casa de meu Pai, resguardando-me do horror do Inferno, que eu bem merecia não apenas uma, mas mil vezes. Ó Senhor, a eternidade não me chegaria para glorificar dignamente a Tua insondável Misericórdia, toda a Tua Compaixão por mim.”(Diário de Santa Faustina nº1486)

Dialogo de Deus Misericordioso com a alma sofredora.

Jesus: Alma, bem vejo que estás a sofrer muito e reparo que não tens força nem sequer para falar coMigo. Eis que serei, então, Eu mesmo a falar contigo, alma. Ainda que os teus sofrimentos sejam os maiores, não percas a tranquilidade de espírito, nem te abandones ao desânimo. No entanto, diz-Me, Minha filhinha, quem ousou ferir o teu coração? Diz-Me tudo, conta-Me tudo, sê sincera coMigo, mostra-Me todas as feridas do teu coração. Hei-de curá-las e o teu sofrimento há-de tornar-se fonte da tua santificação.

-Alma: ”Senhor, os meus sofrimentos são tão grandes e variados, e duram há tanto tempo, que já começo a desanimar.”
-Jesus: ”Minha filhinha, não te desencorajes, sei que em Mim confias sem limites, e reconheço que tens consciência da Minha Bondade e Misericórdia: vamos, então, falar mais em pormenor de tudo aquilo que aflige o teu coração.

-Alma: ”Há tantas coisas para Te contar que ão sei o que diga primeiro, nem como exprimir tudo isso”.

-Jesus: Fala coMigo com simplicidade, como entre amigos. Diz-Me então, Minha filhinha, o que te impede na via da santidade?

-Alma:”É a falta de saúde que me detém nesse caminho da santidade; não posso cumprir as minhas obrigações: sou como que servo inútil. Não posso mortificar-me e jejuar com rigor, como o faziam os santos. Mais ainda, não acreditam que estou doente, e ao físico junta-se o sofrimento moral donde me provêm muitas humilhações. Estás a ver, Jesus? Como é que assim me posso tornar santa?”

-Jesus: ”Filhinha, é verdade, tudo isso é sofrimento, mas não há outra via para o Céu excepto o caminho da Cruz. Eu mesmo por ele passei primeiro. Deves saber que é a rota mais curta e a mais segura.

-Alma: ”Senhor, há um outro impedimento e dificuldade nesse rumo da santidade. Porque Te sou fiel, perseguem-me e causam-me muitos sofrimentos.”

-Jesus: Deves saber que é por não seres deste mundo, que o mundo te odeia. Primeiro perseguiu-Me a Mim. A perseguição é sinal de que estás a seguir fielmente os Meus passos.

-Alma: ”Senhor, o que me desanima ainda é que nem os superiores, nem o confessor me entendem nos meus sofrimentos interiores. As trevas obscureceram a minha mente- e como posso avançar? Tudo isso, de certa forma, me desencoraja e penso que os cumes da santidade não são para mim.”

-Jesus:”Pois, Minha filhinha, desta vez muito Me contaste. Sei como é muito doloroso não ser compreendida., e mais ainda por aqueles a quem se ama e com os quais mais nos abrimos. Porém, que te seja suficiente Eu entender-te em todas as penas e tuas misérias. Regozijo-Me com a profunda fé que, apesar de tudo, continuas a ter nos Meus representantes. Mas deves saber que os homens nunca serão capazes de compreender inteiramente uma alma, pois isso fica para além da possibilidade deles. Por isso, restei na Terra, para consolar o teu coração aflito e fortalecer a tua alma, a fim de que não desfaleças no caminho. Dizes que grandes trevas te obscurecem a mente, mas porque não vens nesses momentos até Mim que sou Luz e posso, num instante, derramar na tua alma tanta lucidez e compreensão da santidade, como não te será possível extrair de algum livro, nem nenhum confessor seria capaz de ensinar e assim iluminar a alma? Fica ainda sabendo que, por essas trevas, de que te queixas, fui Eu o primeiro a passá-las por ti no Jardim das Oliveiras. A minha Alma sentia-se então oprimida numa tristeza mortal- e estou apenas a dar-te agora uma parcela desses sofrimentos, pelo Meu especial amor por ti e pelo alto grau de santidade que te destino no Céu. A alma sofredora é aquela que mais próxima se encontra do Meu Coração.

-Alma: ”Mais uma coisa, Senhor, o que fazer se sou repelida e rejeitada pelas pessoas, especialmente por aquelas com que tinha mais o direito de contar e até nos momentos de maior necessidade?”

-Jesus: Minha filhinha, faz o propósito de nunca te apoiares nas pessoas. Conseguirás muito se te submeteres inteiramente à Minha Vontade e disseres: ”Ó Deus faça-se em mim, não como eu quero, mas segundo a Vossa Vontade. Deves saber que essas palavras, uma vez pronunciadas do fundo do coração, nesse mesmo instante elevam a alma aos cumes da santidade. Por uma alma assim, tenho especial predilecção: ela dá-Me grande glória. E é deste modo que uma tal alma enche o Céu com o perfuma da sua virtude. Porém , fica sabendo que a força que tens em ti, para suportar os sofrimentos, é devida à frequente Sagrada Comunhão e, por isso, dirige-te muitas vezes a essa Fonte de Misericórdia, a fim de que retires com o vaso da confiança tudo o que necessitares.

-Alma: ”Graças Te sejam dadas, Senhor, por Tua inconcebível Bondade, por Te teres dignado ficar connosco neste exílio e connosco habitar como o Deus da Misericórdia, derramando à nossa volta a irradiação da Tua Compaixão e Bondade. Foi através dos Teus raios da Misericórdia que cheguei a compreender quanto me amas”.(Diário de Santa Faustina nº1487)

Proposta de Exame de consciência.

Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma e com todas as tuas forças e não invocarás o seu nome em vão.

  • Que lugar ocupa Deus na minha vida? A quem ou a que dei mais atenção?
    -Amo de verdade a Deus com todo o meu coração ou vivo mais apegado às coisas materiais?
    -Reconheço Deus como meu Criador, como meu Senhor, que me deu a liberdade para que opte livremente por Ele e para que O ame com todas a minha alma, com todo o meu coração e com todas as minhas forças, e acima de tudo, ou vivo apenas preocupado com as coisas materiais: trabalho, negócios, riquezas, bem-estar temporal?
    -Reconheço e sinto-me filho(a) de Deus e dou-me conta do altíssimo privilégio de poder chamar a Deus de Pai?
    -Tenho o cuidado de renovar a minha fé cristã através da oração, da participação activa e atenta na missa dominical, da leitura da Palavra de Deus, etc.? Guardo os Domingos e dias de festa de guarda da Igreja?
    -Faço a experiência de que é Deus quem actua em mim e sem Ele nada sou?
    -Esforço-me por conhecer cada vez melhor Jesus Cristo para o amar mais?
    -Confio em Deus mesmo quando tudo parece correr mal? Sei na prática o que é confiar no amor e no poder de Deus?
    -Tenho uma relação de confiança e amizade com Deus, ou cumpro somente a minha relação com Ele com ritos exteriores?
    -Professei sempre, com vigor e sem temor, a minha fé em Deus? Manifestei a minha condição de cristão na vida pública?
    -Acredito que tanto as minhas capacidades, como as minhas limitações, assim como as situações pessoais ou familiares que me tocam viver, fazem parte do plano de Deus para a minha santificação ou revoltei-me e protestei? Entrego tudo nas mãos de Deus?
    -Lembro-me de agradecer a Deus por tudo o que me deu e dá, e por todas as graças que dispôs no caminho da minha vida para a minha salvação eterna?
    -Sou sensível à beleza da criação e esforço-me por encontrar Deus através dela?
    Reconheço e peço perdão por todas as vezes que desperdicei as graças recebidas?
    -Tenho reverência e amor para com o nome de Deus ou ofendo-O com blasfémias, falsos juramentos ou usando o seu nome em vão?
    -Pratiquei a superstição ou algum tipo de ocultismo(bruxaria, feitiçaria, astrologia, adivinhação, cartomancia, fetichismo, espiritismo, satanismo)ou outra prática estranha à vida cristã?

    Oração diária

    Dedico tempo para alimentar e sustentar o amor a Deus, dialogando com Ele através da  oração, por meio da qual O louvo, agradeço-lhe, entrego-me a Ele e peço-lhe perdão?

  • -Como foi diariamente o meu tempo pessoal com Deus: a Liturgia das Horas, a oração individual e familiar, a leitura da Sagrada Escritura, ou outro tipo de leitura espiritual?
    -Na minha oração intercedo pela minha família, pelo grupo com quem trabalho, convivo, pela minha Pátria, pela Igreja e pelo Mundo?
    -Orei com o coração aberto ao Espírito Santo?
    -Quando tenho que tomar decisões, dedico o tempo necessário para discernir, peço conselho, se necessário?
    -Guardo silêncio na oração ou falo somente, ouvindo-me a mim mesmo(a)?
    -Sei o que é esperar no Senhor? Pratico a virtude da Esperança?
    -Quando o Espírito me inspira e me abre os olhos da inteligência e do coração, guardo essa inspiração e aprofundo-a?
    Que critérios uso para determinar se algo que quero fazer é do Espírito Santo ou é meu?
    -Uso os dos que Deus me deu para a sua glória’
    -Fui legalista(fazendo só o necessário para cumprir) ou vivo a minha fé no Espírito, entregando-me com todo o coração às minhas responsabilidades?Obediência
    -Procuro conhecer a vontade de Deus a meu respeito através da oração?
    -O que é que motiva a minha vida: a vontade de Deus ou os meus ”bons” planos( a minha vontade)?
    -Permito que Deus me guie ou entrego-lhe os planos já ”feitos” para que os bendiga e me ajude a realizá-los?
    -Colaboro activamente nos planos que Deus tem para a minha vida?
    -Sei dizer Sim tanto nos momentos de alegria como nos momentos de tristeza?
    -Os meus gostos, critérios, dúvidas, confusões, pensamentos, atitudes e valores, de que modo não estão subordinados ao Senhor?

    Estudo da Palavra

    -Estudo a fé católica para aprofundá-la (Bíblia, documentos do Magistério, livros de conteúdo sólido e edificante) ou contento-me com o meu próprio modo de entendê-la?
    -Que passos práticos dou em vista da minha formação?

  • Ordem e prioridades

    -O uso do tempo que tenho responde às prioridades de Deus e às minhas responsabilidades ou às pressões de qualquer pessoa ou ocasião para não ficar mal visto(a)?
    -Interpreto o que faço na perspectiva da vida eterna e preparo-me devidamente para ela?
    -Reflicto sobre a minha morte e sobre o juízo final?
  • -Perco o tempo com coisas que não edificam?
    -Tenho um horário e organizo o dia com disciplina, dando tempo a cada área com sabedoria: oração, família, trabalho, descanso, lazer? Em que é que fui desordenado(a)? Fico em algo que me dá gosto, sabendo que é hora e tenho obrigação de fazer outra coisa?
    -Respeito o tempo e as necessidades dos outros: quando procuro ajuda, ao telemóvel, etc.?
    -Cuido da saúde, tenho algum vício, falta de exercício, descanso, alimentação, etc.?
    -Cuido de mim em demasia ou sou desleixado(a)?

    Santificarás os Domingos e as Festas de guarda

    -Guardo o ”Dia do Senhor” para o Senhor ou trabalho desnecessariamente nesse dia?
    -Participo na Missa todos os Domingos e Festas de guarda e, se posso, nos outros dias da semana?
    -Adorei e pus todo o meu coração em Cristo eucarístico que está no sacrário e espera por mim?
    -Amei-O e consolei-O por tantas ofensas cometidas contra Ele?
    -Preparo-me bem, para receber o Senhor na Eucaristia?
    -Agradeço ao Senhor pela sua presença viva na Eucaristia?

    A cruz

    -Procuro meditar e adorar o poder transformador e a sabedoria da cruz de Jesus?
    -Peço a Deus a graça de amar a cruz ou recuso-a?
    -Fugi do cumprimento da vontade de Deus para evitar a cruz?
    -Aceito as provações como fazendo parte do plano de Deus em relação a mim e aos outros?
    -Uno a minha cruz(problemas, enfermidades, responsabilidades, pessoas, a minha idade, a minha vocação)à de Cristo?
    -Procuro a satisfação de todas as minhas necessidades físicas e emocionais ou sei mortificar-me por amor a Jesus?
    -Para amar, sacrifico-me?

    Confissão

    -Procuro confrontar-me com a Palavra de Deus para que seja ensinado(a) e iluminado(a) acerca do meu pecado?
    -Peço a Deus que me mostre como sou verdadeiramente ou prefiro ver-me como julgo que sou?
    -Recuso a verdade acerca de mim quando me é mostrada ou aceito-a com humildade?
    -Reconheço e reparo com responsabilidade os meus pecados e faltas ou justifico-me?
    -Quando me corrigem, agradeço, dando-me conta de que é uma oportunidade para me ver tal qual sou e para crescer na humildade?
    -Confesso-me com frequência e com verdade, ou considero que não tenho pecados?
    -Há algo(hábito, ferida, complexo) que o inimigo usa para seu proveito, para me destruir e aprisionar?
    -O que faço para permitir a Deus que me liberte?

    Maria

    -Consagrei-me a Maria? Se sim, vivi a consagração plenamente? De que modo?
    -Invoco-A na oração e medito sobre a sua vida?
    -Reconheço e venero Maria como Mãe de Deus, Mãe da Igreja e minha Mãe, que cuida de mim e me forma?
    -Rezo o Rosário como meio de aprender com ela e através dela a imitar o seu Filho Jesus?
    -Quando me é possível visito alguma igreja, santuário dedicado a Ela?

    Relações com os outros

    -Na minha relação com os outros há lutas, rivalidades, violências, ambições, discórdias, dissensões, sectarismos, invejas?
    -Sou confiável no lar, no grupo em que possa estar inserido(a), no trabalho?
    -Cumpro as minhas promessas, compromissos e guardo confidencialidade?
    -Busco a unidade no Senhor ou causo, mantendo e espalho a discórdia?
    -No serviço que presto, faço-o para servir a Deus nos outros ou para me buscar a mim mesmo(a)?
    -Sou atencioso(a) sem ser curioso(a)?
    -Sou prudente no que falo e do que falo e no modo como actuo?
    -Sou agradecido(a) pelo serviço e favores que me são prestados?
    -Penso primeiro em mim e no meu próprio bem?
    -Compartilho os meus bens e o meu tempo com os mais pobres, ou sou egoísta e indiferente à dor dos outros?

    Honrarás teu pai e tua mãe e os outros legítimos superiores

    -Obedeço, cuido e honro os meus pais, aceitando-os como são?
    -Ponho má cara e mau humor?
    -Dou tempo à família e tomo parte nos seus actos(refeições, festas, visitas, lazer, conversas)? Na família colaboro em criar um clima de reconciliação com paciência e espírito de serviço?
    -Sou hospitaleiro(a)?
    -Qual a minha relação com os meus irmãos?
    -Se estudo, sou responsável? E no trabalho? Tenho sentido profissional no desempenho das minhas funções?
    -Ajudo, economicamente ou de outra forma, e segundo as minhas possibilidades,às necessidades do lar?
    -Escuto, obedeço, respeito e colaboro com os que têm legítima autoridade sobre mim?

    Casados:(além do já referido anteriormente)

    -Protejo o meu lar e os meus das más influências de outros e do ambiente?Como?
    -Manipulei com os meus estados de ânimo e enfados para que se faça o que quero?
    -Permito que outros(pais, amigos, conhecidos) manipulem ou se anteponham ao casal?
    -Honro e respeito a minha esposa(o) em todos os momentos?
    -Expresso ao meu esposo(a) amor, carinho e respeito e dialogo com ele(a)? E aos meus filhos?
    -Detecto os problemas e enfrento-os com sabedoria?
    -O que é que faço para que a minha casa seja um verdadeiro lar?
    -Sou responsável e ordenado(a) na gestão económica do meu lar?
    -Ajudo os filhos para que possam estudar, orar, descansar, participar nos  seus grupos, cumprir com as suas responsabilidades?
    -Dialogo com os meus filhos, ensino-os, guio-os, escuto-os, disciplino-os com sabedoria, dou-lhes boa educação para que sejam bons cristãos e cidadãos?
    -Sou solícito(a) na educação dos meus filhos? Sou demasiado(a) exigente e intolerante para com as suas faltas, originando conflitos desnecessários?
    -Para não ter problemas e para ficar sempre de bem com eles fecho os olhos às dificuldades que surgem?

  • Não matarás nem causarás outro dano, no corpo ou na alma, a ti mesmo e ao próximo

    -De algum modo matei ou atentei contra a vida(ex.: apoio ou participação no aborto, suicídio, conduzir sem cuidado, actos irresponsáveis que ponham em perigo a vida própria ou de outrem, agressão, violência, etc.)?
    -Atentei contra a dignidade de alguém?
    -Induzi alguém a pecar?
    -Causei dano na reputação de alguém?
    -Preocupei-me eficazmente pelo bem do próximo, advertindo-o de algum perigo material ou espiritual em que se encontrava ou corrigindo-o como exige a caridade cristã?
    -Regozijei-me com a desgraça alheia?

    Guardarás castidade nas palavras e nas obras

    -Relaciono-me segundo o meu estado de ânimo ou segundo o que edifica no amor?
    -Alimento fantasias ou actos impuros, comigo mesmo ou com os outros?
    -Sou prudente nas anedotas que conto, na escolha de programas televisivos, nas minhas atitudes, nos meus relacionamentos, no meu vestir, etc.?
    -Obedeço ao plano de Deus para a sexualidade no estado de vida que escolhi?
    -Guardo os meus sentimentos e todos o meu corpo na pureza e na castidade, como templo que sou do Espírito Santo?

  • Não furtarás nem injustamente reterás ou danificarás os bens do próximo
    -De algum modo roubei a outros e a instituições?
    -Fui descuidado(a) no uso da propriedade alheia e não devolvi o que não era meu?
    -Aproveitei-me da minha posição para beneficio pessoal?
    -Deixei-me subornar ou subornei?
  • -Administrei os bens próprios ou alheios com ligeireza ou desonestidade?
    -Cumpri rigorosamente os meus deveres sociais: o pagamento justo do salário, seguros, impostos, etc.?
    -Sou honesto(a) no emprego, sério(a) no trabalho e nos negócios?

    Não levantará falsos testemunhos nem de qualquer outro modo faltarás à verdade ou difamarás o próximo

    -É Deus ou o meu eu quem inspira as minhas palavras? Quis opinar sobre tudo?
    -Digo a verdade? Revelei segredos? Julguei injustamente?
    -Queixei-me, vitimando-me, procurando a atenção dos outros?
    -Coloquei a minha atenção no indevido e inoportuno?
    -Minto para ficar bem perante os outros?
    -Colaborei na calúnia ou na murmuração?

    Obras de misericórdia

    -Visito os doentes, velhinhos, levando-lhes conforto e ajuda?
    -Sou apóstolo da alegria e da esperança?
    -Partilho prudentemente e segundo as minhas possibilidades os meus bens(não só materiais) e promovo os outros?
    -Rezo pelos meus defuntos, pelas almas do Purgatório e pelos pecadores?
    -Estou atento à dor alheia?
    Faço acepção de pessoas segundo a aparência e estatuto social?
    -Dou uma palavra de conforto a quem precisa dela?
    -Com a minha presença estou próximo dos que vivem ”noites escuras”?
    -Carrego pacientemente e com sabedoria os defeitos dos que vivem ou se relacionam comigo?
    -Aceito-os e ajudo-os a crescer?
    -Vivo com simplicidade?
    -Imito Cristo que foi pobre?
    -Sou livre de apego materiais?
    -Coopero com as obras da Igreja ou de outras instituições com verdadeiro espírito de partilha ou dou das minhas sobras?

  • Evangelização

    -Amo a Igreja, Esposa de Cristo, o Santo Padre, os Bispos e os Sacerdotes?
    -Participo de modo activo na vida da minha comunidade cristã ou vivo completamente à margem?
    .-Sou sal da Terra e Luz do mundo?
    -Esforço-me de todo o coração para que Cristo seja conhecido e amado por todos?
    -Conduzo as minhas amizades para o Senhor ou deixo que elas me arrastem para o mundo?

  • -Vivo a minha fé e respondo ao Espírito ou paralisa-me”o que dirão os outros”, acobardando-me?
  • Emoções: ressentimentos, caprichos, impulsos, medos

    -Quais são as minhas emoções mais salientes? Submeto-as ao Senhor para que me ajude a orientá-las para o bem?
    De que forma afectam o meu comportamento?
    -Procuro, em primeiro lugar, o meu interesse e comodidade ou servir com amor?

    Soberba e Humildade

    -Fui humilde no pensar, comparei-me com os outros, procurei chamar a atenção dos outros através da minha ”sabedoria”, dos meus feitos, do meu físico, dos meus bens etc.?
    -Desprezo os outros no meu coração?
    -Ressenti-me pelo trato que me deram ou pelo lugar que recebi?
    -Qual é a motivação das minhas aspirações?
    -Sou prudente ao dar a minha opinião? Creio que é a única?

  • -Julgo-me indispensável, crendo que sem mim as coisas não andam e não vão bem?
    -Sei distinguir o que é a minha missão e lugar, ou intrometo-me no que não me corresponde?
  • -Reconheço que não tenho razão de me gloriar senão em Cristo? Verdadeiramente atribuo toda a glória a Deus?
    De que forma as minhas acções estão misturadas de orgulho, vaidade, egoísmo, engrandecimento, arrogância?
    -Reconheço os meus erros e peço perdão?
    -Ajudo sem me querer impor, rebaixando os outros?
    -Busco aprovação, reconhecimento, honras e louvores?
    -Faço as coisas para ficar bem perante os outros?
    -Rejeito as humilhações ou sei aproveitá-las como meio para adquirir a humildade?

    Avareza e Generosidade

    -Estou preso às coisas?
    -Sacrifico tempo, dinheiro para servir segundo o plano de Deus?
    -Sou generoso(a) ou egoísta com os bens materiais?
    -Sei dar e dar-me?
    -Sou viciado no jogo?

    Ira e Paciência

-Sou intransigente, intolerante, irascível?
-Sei lidar com as cruzes, enfermidades, problemas, trabalhos, etc.?
-Perco a paz, manifesto mau humor quando as coisas não são como eu espero?
-Deito a culpa à circunstâncias, não assumindo as minhas responsabilidades?

Gula e Temperança

-Como mais do que o necessário, desperdiçando e prejudicando a minha saúde? Jejuo?
-Sou dependente do álcool, da droga, dos medicamentos?

Inveja e Caridade

-Ambiciono, por vaidade, posições, cargos, contactos sociais, para me impor social e eclesial-mente?
-Alegro-me com as qualidades dos outros e quando melhoram na sua caminhada?-
-Invejo os bens e as qualidades dos outros?
-Ocupo o meu pensamento com comparações que me conduzem à inveja ou ao ressentimento?

Preguiça e Diligência

-Fiquei paralisado(a) perante o que Jesus me pedia?
-Sou atencioso(a) no cumprimento dos meus deveres?
-Que faço para edificar a minha família, grupo onde eventualmente possa estar inserido(a) ou as pessoas com quem convivo diariamente?
-Estou pronto(a) a servir mesmo quando não tenho vontade para tal?
-”Descanso” mais do que o necessário?

Bem-Aventuranças (Mateus 5, 1-12)

-Sou pobre de espírito, livre de apego?
-Reconheço-me e estou convencido de que não sou nada diante de Deus?
-Sou manso(a), paciente e construí com meios santos?
-Chorei perante os pecados que ofendem a Deus?
-Arrependo-me dos meus pecados porque Deus não merece ser ofendido?
-Tive fome e sede de justiça?
-Procuro ser santo(a), porque Deus me quer santo(a)?
-Fui misericordioso(a), compreensivo(a), tolerante, magnânimo(a) e compassivo(a)?
-Sou limpo(a) de coração, puro(a) de pensamentos?
-Faço as coisas com pureza de intenção ou há duplicidade nas minhas acções?
-Tenho ”honestidade mental”?
-Trabalho pela paz, em mim, no lar, grupo, local de trabalho, sociedade?
-Sofro com alegria a perseguição por causa da justiça?
-Como reajo perante as críticas injustas, as incompreensões, os desprezo, as acusações, as injustiças, os ataques, as calúnias, as agressões?
-Aproveito tudo isso como meios de purificação e santificação?

-Perdoai-nos Senhor as nossas ofensas!

 

 

Advertisements