O grande anúncio para os jovens

Cristo vive, quarta exortação apostólica do Papa Francisco, aos jovens e a todo povo de Deus. No capítulo quarto, o Papa Francisco diz:
Para lá de qualquer circunstância, a todos os jovens quero anunciar agora o mais importante, o principal, aquilo que nunca se deveria calar. É um anúncio que inclui três grandes verdades que todos precisamos de escutar sempre, uma e outra vez.

UM QUE É DEUS AMOR

Antes de mais, quero dizer a cada um a primeira verdade:”Deus ama-te.” Se já o escutaste, não importa, eu quero recordar-to: Deus ama-te. Nunca o duvides, suceda o que te suceder na vida. Em qualquer circunstância, tu és infinitamente amado.

A experiência de paternidade que tiveste talvez não tenha sido a melhor, o teu pai da terra talvez fosse distante e ausente ou, pelo contrário, dominador e absorvente. Ou então, pura e simplesmente, não foi o pai de que tu precisavas. Não sei. O que te posso dizer com certeza, porém, é que tu te podes lançar, seguro, nos braços do teu Pai divino, desse Deus que te deu vida e que ta dá a cada momento. Ele te sustentará com firmeza e, ao mesmo tempo, sentirás que Ele respeita até ao fundo a tua liberdade.

Na sua Palavra encontramos muitas expressões do seu amor. É como se Ele tivesse procurado diversas formas de manifestá-lo para ver se com alguma dessas palavras conseguia chegar ao teu coração. Por exemplo, às vezes apresenta-Se como aqueles pais afectuoso que brincam com os seus filhinhos: “Segurava-os com laços humanos, com laços de amor, fui para eles como os que levantam uma criancinha contra o seu rosto.” (Os 11,4)
Por vezes, apresenta-Se transbordante de amor daquelas mães que amam sinceramente os seus filhos, com um terno e profundo amor, que é incapaz de esquecer ou de abandonar:”Acaso pode uma mulher esquecer-se do seu bebé, não ter carinho pelo fruto das suas entranhas? Ainda que ela se esquecesse dele, Eu nunca te esqueceria.” (Is 49,15)
Até Se apresenta como um enamorado que chega ao ponto de tatuar a pessoa amada na palma da sua mão para poder ter o seu rosto sempre próximo:”Eis que Eu gravei a tua imagem na palma das minhas mãos” (Is 49,16).
Outras vezes destaca-se a força e a firmeza do seu amor, que não se deixa vencer: “Ainda que os montes sejam abalados e tremam as colinas, o meu amor por ti nunca mais será abalado, e a minha aliança de paz nunca vacilará.”(Is 54,10)
Ou nos diz que fomos esperados desde sempre, porque não aparecemos neste mundo por uma casualidade. Desde antes de existirmos éramos um projeto do seu amor: “Amei-te com um amor eterno. Por isso, guardei fidelidade para contigo” (Jr 31,3).

Ou nos faz notar que Ele sabe ver a nossa beleza, aquela que mais ninguém pode reconhecer: “És precioso aos meus olhos, és estimado e amado.” (Is 43,4).
Ou nos leva a descobrir que o seu amor não é triste, mas pura alegria, que se renova quando nos deixamos amar por Ele:”O teu Deus está no meio de ti como poderoso salvador! Ele exulta de alegria por tua causa, pelo seu amor te renovará. Ele dança e grita de alegria por tua causa.” (Sf 3,17).

Para Ele és realmente valioso, não és insignificante, és importante para Ele, porque és obra das suas mãos. Por isso te presta atenção e te recorda com carinho. Tens de confiar na “memória de Deus: ela não é um “disco duro” que regista e armazena todos os nossos dados; a sua memória é um coração terno de compaixão, que se regozija, eliminando definitivamente, qualquer vestígio de mal”. Não quer ter em conta os teus erros e, em qualquer circunstância, ajudar-te-á a aprender qualquer coisa inclusive com as tuas quedas. Porque te ama. Tenta silenciar todas as vozes e gritos interiores e fica por um instante nos seus braços de amor.

É um amor”que não esmaga”,é um amor que não marginaliza, que não se cala, um amor que não humilha nem avassala.É um amor do Senhor, um amor de todos os dias, discreto e respeitador, amor de liberdade e para a liberdade, amor que cura e levanta. É o amor do Senhor, que sabe mais de subida do que de quedas, de reconciliação que de proibição, de dar uma nova oportunidade do que de condenar, de futuro que de passado”.

Quando te pede alguma coisa ou quando, simplesmente, permite aqueles desafios que a vida te apresenta, espera que Lhe dês espaço para te poder fazer seguir em frente, para te promover, para te amadurecer. Não o incomoda que Lhe apresentes as tuas interrogações, aquilo que O preocupa é que tu não fales com Ele, não te abras, com sinceridade, ao diálogo com Ele.
Conta a Bíblia que Jacob teve uma discussão com Deus (Gn 32,25-31), e isso não o afastou do caminho do Senhor. Na realidade, é Ele mesmo que nos exorta: “Vinde então para discutirmos.”(Is 1,18) O seu amor é tão real, tão verdadeiro, tão concreto, que nos oferece uma relação cheia de diálogo sincero e fecundo. Finalmente, procura o abraço do teu Pai do Céu no rosto amoroso das suas valentes testemunhas na terra!

 

CRISTO SALVA-TE

A segunda verdade Cristo, por amor, se entregou até o fim para te salvar. Os seus braços abertos na Cruz são o sinal mais precioso de um amigo capaz de chegar até ao extremo:”Ele, que amara os seus que estavam no mundo, levou o seu amor por eles até ao extremo.”(Jo 13,1)
São Paulo, que vivia abandonado a esse amor que entregou tudo, dizia:” Vivo na fé do Filho de Deus que me amou e a si mesmo se entregou por mim.”(Gl 2,20)

Esse Cristo que nos salvou na Cruz dos nossos pecados, com esse mesmo poder da sua entrega total, continua a salvar-nos e a resgatar-nos hoje. Olha a sua Cruz, agarra-te a Ele, deixa-te salvar, porque “aqueles que se deixam salvar por Ele são libertados do pecado, da tristeza, do vazio interior, do isolamento”. E se tu pecas e te afastas, Ele volta a levantar-te com o poder da sua Cruz. Nunca esqueças que” Ele perdoa setenta vezes sete. Volta a carregar-nos aos ombros, uma e outra vez. Ninguém nos poderá tirar a dignidade que esse amor infinito e inquebrantável nos confere. Ele permite-nos levantar a cabeça e recomeçar, com uma ternura que nunca nos desilude, capaz de nos devolver sempre a alegria”.

Nós”somos salvos por Jesus porque Ele nos ama, e isso é mais forte do que Ele. Podemos fazer-lhe trinta por uma linha, mas Ele ama-nos e salva-nos. Porque só quem é amado pode ser salvo. Só quem é abraçado pode ser transformado. O amor do Senhor é maior do que todas as nossas contradições, do que todas as nossas fragilidades e do que todas as nossas mesquinhices.
Contudo, é precisamente através das nossas contradições, fragilidades e mesquinhices que Ele quer escrever está história de amor. Abraçou o filho pródigo, abraçou Pedro depois das negações, e abraça-nos sempre, sempre, depois das nossas quedas, ajudando-nos a levantar-nos e a pormo-nos de pé. Porque a verdadeira queda – atenção a isto -, a verdadeira queda, aquela, que é capaz de nos arruinar a vida, é a de ficarmos no chão e de não nos deixarmos ajudar”.

O seu perdão e a sua salvação não são uma coisa que comprámos ou que tenhamos de adquirir com as nossas obras ou com os nossos esforços. Ele perdoa-nos e liberta-nos de graça.A sua entrega na Cruz é uma coisa tão grande que nós não podemos nem a devemos pagar, só temos de recebê-la com uma gratidão imensa e com a alegria de termos sido tão amados antes ainda de o podermos imaginar: “Ele amou-nos primeiro.”(1Jo 4,19)

Jovens amados pelo Senhor, quanto valeis vós, se fostes redimidos pelo sangue precioso de Cristo!
Jovens queridos, vós “não tendes preço! Não sois peças de leilão! Por favor, não vos deixeis comprar, não vos deixeis seduzir, não vos deixeis escravizar pelas colonizações ideológicas que nos metem ideias na cabeça e, no fim, tornamos-nos escravos, dependentes, fracassados na vida. Vós não tendes preço; deveis repeti-lo continuamente: eu não estou em leilão, não tenho preço. Sou livre, sou livre! Enamorai-vos desta liberdade, aquela que Jesus oferece”.

Olha os braços abertos de Cristo crucificado, deixa-te salvar uma e outra vez. E quando te aproximares para confessar os teus pecados, crê firmemente na sua misericórdia, que te liberta da culpa. Contempla o seu sangue derramado com tanto carinho e deixa-te purificar por ele. Assim poderás renascer, uma e outra vez.

ELE VIVE!

Há ainda uma terceira verdade, que é inseparável da anterior: Ele vive! Devemos voltar a recordá-lo com frequência pois corremos o risco de tomar Jesus Cristo apenas como um bom exemplo do passado, como uma recordação, como alguém que nos salvou há dois mil anos. Isso não nos serviria de nada, deixar-nos-ia iguais, não nos libertaria. Aquele que nos enche com a sua graça, aquele que nos liberta, aquele que nos transforma, aquele que nos cura e nos consola é alguém que vive. É Cristo ressuscitado, cheio de vitalidade sobrenatural, vestido de uma luz infinita. Por isso dizia São Paulo: “Se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé.” (Cor 15,17)

Se Ele vive, então sim, poderá estar presente na tua vida, a cada momento, para enchê-la de luz. Assim, nunca mais haverá solidão nem abandono. Mesmo que todos  se vão embora, Ele estará, tal como prometeu:”Eu estou convosco todos os dias, até ao fim dos tempos”.(Mt 28,20) Ele enche tudo com a sua presença invisível, e onde quer que tu vás, Ele estará à tua espera. Porque Ele não só veio, mas vem e continuará a vir a tua vida, em cada dia, para te convidar a caminhar até um horizonte sempre novo.

Contempla Jesus feliz, transbordante de júbilo. Alegra-te com o teu Amigo que triunfou. Mataram o santo, o justo, o inocente, mas Ele venceu. O mal não tem a última palavra. Na tua vida,o mal também não terá a última palavra, porque o teu Amigo, que te ama, quer triunfar em ti. O teu salvador vive.

Se Ele vive, isso é uma garantia de que o bem se pode tornar caminho na nossa vida, e de que as nossas fadigas servirão para alguma coisa. Então podemos deixar as lamentações e olhar para a frente, porque com Ele é sempre possível. É essa a segurança que temos, Jesus é o eterno vivente. Agarrados a Ele, viveremos e atravessaremos todas as formas de morte e de violência que nos espreitam no caminho.

Qualquer outra solução será débil e passageira. Talvez sirva para alguma coisa durante um tempo, mas de novo nos encontraremos desprotegidos, abandonados, expostos à intempérie. Com Ele, pelo contrário, o coração está arraigado a uma segurança básica, que permanece para lá de tudo o resto. Diz São Paulo que quer estar unido a Cristo para “conhecer o poder da sua ressurreição”(Fl 3,10). É o poder que também se manifestará, uma e outra vez, na tua existência, porque Ele veio para te dar vida, ” e vida em abundância”(Jo 10,10).

Se conseguires apreciar, com o coração, a beleza deste anúncio e te deixares  encontrar pelo Senhor, se te deixares amar e salvar por Ele, se travares amizade com Ele e começares a conversar com Cristo vivo sobre as coisas concretas da tua vida, será essa a grande experiência, será essa a experiência fundamental que sustentará a tua vida cristã. Essa é também a experiência que poderás comunicar a outros jovens. Porque “não se começa a ser cristão por uma decisão ética ou por uma grande ideia, mas pelo encontro com um acontecimento, com uma Pessoa, que confere um novo horizonte e, Ele uma orientação decisiva para a vida”.
O ESPÍRITO DÁ VIDA

Nestas três verdades – Deus ama-te, Cristo é o teu salvador; Ele vive – aparece Deus Pai e também aparece Jesus. Onde estão o Pai e Jesus Cristo, também está o Espírito Santo. É Ele que está por detrás, é Ele que prepara e abre os corações para que recebam esse anúncio, é Ele que mantém viva essa experiência de salvação, será Ele que te ajudará a crescer nessa alegria, se O deixares actuar. O Espírito Santo enche o coração de Cristo ressuscitado e, a partir daí, derrama-Se na tua vida como um manancial. E quando tu o recebes, o Espírito Santo faz-te penetrar cada vez mais no coração de Cristo, para que te enchas cada vez mais do seu amor, da sua luz e da sua força.

Invoca em cada dia o Espírito Santo, para que renove constantemente em ti a experiência do grande anúncio. Porque não? Não perdes nada, e Ele pode mudar a tua vida, pode iluminá-la e dar-lhe e dar-lhe um rumo melhor. Não te mutila, não te tira nada, mas ajuda-te a encontrar, da melhor maneira, aquilo de que precisas. Precisas de amor? Não o encontrarás no desenfreamento, usando os outros, possuindo os outros  ou dominando-os. Achá-lo-ás de uma maneira que te fará verdadeiramente feliz. Procuras intensidade? Não a viverás acumulando objetos, gastando dinheiro, correndo, desesperado, atrás das coisas deste mundo. Chegar-te-á de uma forma muito bela e satisfatória se te deixares impulsionar pelo Espírito Santo.

Procuras paixão? Como diz aquele belo poema: enamora-te!(ou deixa-te enamorar), porque “nada pode ser mais importante do que encontrar Deus. quer dizer, enamorar-se d’Ele de uma forma definitiva e absoluta. Aquilo de que tu te enamoras prende a tua imaginação  e acaba por ir deixando a sua marca em tudo.
Será isso que decidirá aquilo que te tira da cama de manhã, aquilo que fazes ao anoitecer, em que empregas os teus fins de semana, aquilo que lês, que conheces, que parte o teu coração e que  faz transbordar de alegria e gratidão. Enamora-te! Permanece no amor! E tudo será diferente”. Este amor a Deus, que abraça com paixão a vida, é possível graças ao Espírito Santo, porque “o amor de Deus foi derramado nos nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado”(Rm 5,5).

Ele é o manancial da melhor juventude. Porque aquele que confia no Senhor é “como árvore plantada perto da água, que estende as raízes para a corrente; não teme quando vem o calor, e a sua folhagem fica sempre verdejante” (Jr 17,8). Enquanto “os jovens se cansam e se fatigam” (Is 40,30), aos que esperam, confiantes, no Senhor, “Ele renovará as suas forças, terão asas como a água, correrão sem se fatigar e caminharão sem desfalecer” (Is 40,31).