O Aviso e o Milagre – Entrevistas com as videntes

Desde que as aparições de Garabandal terminaram em 1965, as videntes: Conchita, Mari Loli e Jacinta concederam entrevistas de vez em quando. Nessas entrevistas, as videntes revelaram o que lhes foi permitido dizer sobre o futuro: “O Aviso a todo o mundo” e “O Grande Milagre”, que se avizinham. Nestas entrevistas, embora muitas vezes se lhes façam as mesmas perguntas acerca de ambos os acontecimentos, sucede com frequência que acabe por sair nova informação ou que se vislumbrem novas perspectivas. Tendo isto presente e animados pelo desejo de obter uma imagem mais completa, baseada no que se sabe do Aviso e do Milagre, recompilamos todas as entrevistas a nossa disposição evitando, claro está, as repetições não necessárias.

O Aviso

Conchita

14 de Setembro de 1965

P. Será o Aviso algo visível ou algo que sentiremos interiormente, ou ambas as coisas?

R. O Aviso é algo que vem directamente de Deus e poderá ver-se em todo o mundo, onde quer que um esteja.

P. O Aviso revelará os pecados de cada um no mundo, seja qual for a sua fé e incluindo aos ateus?

R. Sim, o Aviso será como uma revelação dos nossos pecados e será visto e experimentado tanto pelos crentes como pelos não crentes e por pessoas de todas as religiões.

P. É verdade que o Aviso fará com que muitas pessoas se recordem dos mortos?

R. O Aviso é como uma purificação para se preparar para o Milagre. É também uma espécie de catástrofe. Fará com que pensemos nos mortos, ou seja, que preferiremos estar mortos em vez de experimentar a vivência do Aviso.

P. O mundo reconhecerá e aceitará o Aviso como sinal directamente enviado por Deus?

R. Sem dúvida, por isso creio que é impossível que o mundo esteja tão endurecido que não mude.

Outubro, 1968

P. Algumas pessoas dizem que possivelmente o Aviso seja um fenómeno natural, mas que Deus se valerá dele para dirigir-se à Humanidade. Está certo?

R. O Aviso é algo sobrenatural que a ciência não poderá explicar. Poderá ver-se e sentir-se.

P. Conchita, podes explicar a afirmação de que durante o Aviso nos conheceremos a nós mesmos e os pecados que fizemos?

R. O Aviso será a correcção da consciência do Mundo.

P. E o que podes dizer-nos das muitas pessoas que não conhecem a Cristo; como compreenderão elas o Aviso?

R. Os que não conhecem a Cristo (os que não são cristãos), crerão que é um Aviso de Deus.

1973

P. O que ocorrerá no dia do Aviso?

R. O mais importante desse dia é que todas as pessoas do mundo verão um sinal, uma graça ou um castigo no interior de si mesmas – em outras palavras, um Aviso. Ficarão completamente sozinhas no mundo nesse momento, independentemente de onde estiverem, a sós com a sua consciência e diante de Deus. Verão então todos os seus pecados e o que os seus pecados provocaram.

P. Sentiremos todos ao mesmo tempo?

R. Sim, ao mesmo tempo.

P. Quanto tempo durará: meia hora, uma hora?

R. Sinceramente, não sei. Creio que cinco minutos seriam suficientes.

P. Como o sentiremos?

R. Todos o sentiremos de diferente modo porque dependerá da consciência de cada um. O Aviso será muito pessoal, todos reagiremos de diferente modo. O mais importante há de ser reconhecer os nossos próprios pecados e as suas consequências funestas. Terás uma visão do Aviso diferente da minha, porque os teus pecados são diferentes dos meus.

P. Acontecerá algo a mim por causa dos meus pecados? Quer dizer, sofrerei danos físicos por causa dos meus pecados?

R. Não, a menos que seja consequência da impressão produzida, por exemplo, um ataque cardíaco.

P. Quer dizer que não causará danos físicos mas consistirá em comparecer diante de Deus, só com os meus pecados. E as minhas boas acções, as verei também?

R. Não. Será só um Aviso para ver as consequências dos nossos pecados. Será também como uma purificação antes do Milagre, para ver se com o Aviso e o Milagre nos convertemos (o mundo inteiro).

P. Então este Aviso pode produzir-se a qualquer momento?

R. Sim, mas não sei em que data ocorrerá.

Fevereiro, 1977

P. Quando descobriste pela primeira vez o Aviso e quem te disse?

R. O único que me lembro claramente é que foi a Virgem quem mo disse.

P. Queres repetir-nos o que sabes do Aviso? 

R. O O que me lembro agora é que a Virgem me disse que antes do Milagre, Deus nos vai enviar um Aviso para purificar-nos ou preparar-nos para ver o Milagre, para que assim possamos receber a graça suficiente para mudar as nossas vidas e orientá-las em direcção a Deus. Me disse em que consistiria o Aviso, mas não a data. Não me está permitido dizer em que consiste, mas posso dizer como será mais ou menos. É um fenómeno que será visto e sentido em todas as partes do mundo; sempre ponho como exemplo duas estrelas que chocam entre si. Este fenómeno não produzirá dano físico mas nos espantará, porque nesse preciso instante veremos as nossas almas e o dano que fizemos. Será como se estivéssemos agonizando, mas não morreremos pelos seus efeitos, embora seja possível que morramos de medo ou pela impressão de ver-nos a nós mesmos. Que a Virgem me perdoe se não expliquei tal como é, mas tento dizer nos temos que sei, como será o Aviso nesse dia.

P. “Viste” algo ou “ouviste falar” acerca do Aviso?

R. A Virgem falou-me da sua chegada.

P. Se o Aviso só dura uns minutos, o mundo se recordará como algo procedente de Deus ou parecerá simplesmente um sonho ou uma ilusão?

R. Nunca disse que o Aviso só dure um instante. O que disse é que embora seja um momento, será muito impressionante e terrível. Ninguém terá a menor dúvida de que procede de Deus e que não se trata de algo humano. Eu, que sei em que consiste, temo muito esse dia.

P. Faz já muitos anos que nos disseste que o sucesso que acompanhará ao Aviso começa com a letra “A”. Visto que a Nossa Senhora nunca te proibiu de revelar, poderias dizê-lo agora?  

R. O Não o proibiu, mas não sei porque não o disse e me parece que não o devo dizer agora.

P. Em certa ocasião disseste ao padre Marcelino Andreu: “Quando se veja o Aviso, se saberá que havemos chegado ao final dos tempos.” Podes explicar – nos o que quiseste dizer?

R. A Virgem nos disse que o Aviso e o Milagre serão as últimas advertências ou acontecimentos públicos que Deus nos dará. Por isso creio que depois nos encontraremos próximo do fim dos tempos.

P. Tens algum conselho para dar às pessoas que se preparem para este acontecimento?

R. Sempre devemos estar preparados, de modo que haja paz em nossas almas e não nos agarremos tanto às coisas deste mundo. Em vez disso, devemos pensar com muita frequência que estamos aqui para ir ao céu e ser santos.

Agosto, 1980

P. O Aviso nos fará dano ou nos ferirá?

R. Não. Para mim, é como duas estrelas… que colidem entre si e fazem um ruído enorme e libertam uma luz grande mas não caem. Não nos vai ferir fisicamente, mas vamos vê-lo. Nesse momento, veremos a nossa consciência. Veremos todo o mal de nossas acções.

P. Vamos ver todo o mal de nossas acções?

R. Sim, e também veremos o bem que deixamos de fazer.

Jacinta

17 de Agosto, 1975

P. A Nossa Senhora te disse alguma vez sobre o Aviso?

R. Sim, me falou sobre ele, mas nunca me disse o ano…

Fevereiro, 1977

P. Podes dizer-nos como será o Aviso?

R. Se verá primeiro no ar, em todo o mundo e imediatamente se transmitirá ao interior das nossas almas. Durará um tempo muito breve, mas parecerá muito longo pelo efeito que produzirá no nosso interior. Será para o bem de nossas almas, para que possamos ver o interior de nós mesmos, na nossa consciência, o bem e o mal que fizemos. Sentiremos um grande amor em direcção ao nosso Pai e Mãe celestiais e pediremos perdão por todas as nossas ofensas.

P. O mundo todo experimentará o Aviso, independentemente das suas crenças religiosas?

R. O Aviso é para todo o mundo, porque Deus deseja a nossa salvação. A sua finalidade é que nos aproximemos mais a Ele e tenhamos mais fé. Por conseguinte, devemos preparar-nos para esse dia, mas não esperá-lo com temor, porque Deus não envia as coisas para causar terror e sim com justiça e amor, para o bem de todos os seus filhos, para que alcancem a felicidade eterna e não se condenem.

Agosto, 1979

P. Lembras-te algo acerca de uma grande tribulação, o comunismo?…

R. Sim, era uma invasão, bom, algo que me pareceu como uma invasão; algo muito mau no qual o comunismo tinha um papel muito importante, mas já não me lembro quais os países ou regiões se viam afectadas. A Santíssima Virgem insistiu em que rezássemos (para evitar que sucedesse). Estes graves acontecimentos terão lugar antes do Aviso, que ocorrerá quando a situação esteja no seu momento pior.

16 de Abril, 1983

P. Em 1979, numa entrevista [parágrafos anteriores] referindo-te a tribulação comunista disseste “pareceu-me como uma invasão”. Viste cenas desta invasão?

R. As vezes confundo invasão com perseguição.

P. Como o sentiremos?

R. O Aviso é algo que vem directamente de Deus e poderá ver-se em todo o mundo, onde quer que um esteja

P. Como o sentiremos?

R. O Aviso é algo que vem directamente de Deus e poderá ver-se em todo o mundo, onde quer que um esteja

P. Como o sentiremos?

R. O Aviso é algo que vem directamente de Deus e poderá ver-se em todo o mundo, onde quer que um esteja

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s