Milagres de Santa Rita

 

sem tituloMiraculosa Cura

Têm sido numerosas as curas e outras graças obtidas por intercessão desta prodigiosa Santa, paralisias , febres, reumatismos, doenças de qualquer género, crónicas ou recentes; quando se invoca um santo com verdadeira devoção, o milagre acontece por intervenção dos méritos obtidos pela santidade dos mesmos , e pela fé e confiança em Deus. E Santa Rita , a santa dos impossíveis, assim denominada,para remediar os males da sua época, Deus suscitou pois uma mulher admirável, fê-la desabrochar como uma rosa no meio de espinhos.Santa Rita, nasceu na região da Umbria, pátria de São Francisco de Assis e de Santa Clara, foi como Ana e Joaquim a respeito da Santíssima Virgem, seus pais, Antonio Macini e Amata Ferri, tiveram que a pedir ao Céu, por ardentes preces. Estavas suas orações. Santa Rita nasceu a 22 de Maio de 1381, em Rocaporena; e seus pais viram pois nesta filha um dom de Deus, e por indicação dum Anjo a chamaram ”Margarita”, que significa ”pérola”, nome de harmonia, que o povo abreviou pelo de ”Rita”.
No dia seguinte ao do seu baptismo, o Senhor mostrou, por milagre, a missão que devia exercer esta menina privilegiada. Rita dormia tranquilamente, com a boca levemente aberta, quando um enxame de abelhas brancas veio voltear em torno do berço; em seguida entraram uma a uma na boca da menina, e depois saíram pela mesma ordem, com grande admiração de quem presenciou isto. Fortalecida pela bênção divina, que havia repousado sobre o seu berço, a piedosa menina devia fazer rápidos progressos em todas as virtudes; e desde a puericia já se podia ver que ela seria um dia bom modelo de austeridade e de penitência. Mal a menina surgia da sua infância, já auxiliava sua Mãe nos precisos labores domésticos. E nas horas vagas saía em socorro dos pobres, para quem se privava por vezes de seu próprio alimento, e deliciava-se em assistir e confortar os doentes.Entretanto , a nossa Santa tomara a resolução de viver vida solitária, mas Deus contrariou estes desejos, por algum tempo a fim de a fazer passar longos anos pelo estado conjugal. Foi casada com um jovem de carácter violento e irascível.
A mãe de família, tanto quanto a religiosa professa , se está na via traçada pela Providência, pode adquirir mérito para o Céu. Se uma parece ter as vantagens da vida mortificada, voluntariamente escolhida, a outra se é submissa à vontade de Deus, aparece verdadeiramente, como uma vítima dedicada a todos os sacrifícios. Rita teve dois filhos , muito sofrimento e uma vida cheia de cruzes, mas quando começava a gozar de alguma esperança de melhora no coração endurecido do marido , este veio a falecer e um algum tempo depois Deus leva também os seus dois filhos. Rita não tinha doravante nada mais que a prendesse ao mundo: só lhe restava esperar, no estado de sua viuvez, a hora designada pela Providência para recompensar salutar mente as suas imolações.

Desprendida pois de todo o laço neste mundo, Rita forma o projecto de entrar para a Ordem das Agostinhas de Cássia, era no ano de 1403, em que ela contava trinta anos de idade, uma nova imolação principiava na sua vida, e que devia continuar sem desfalecimento durante quarenta anos. Rita imolou-a completamente sobre o altar do claustro, a ponto de se submeter ao mais pequeno desejo de suas superioras, e isso até nos seus êxtases, de onde dependia só de Deus.
Um dia a priora, para experimentar a sua virtude, mandou-lhe regar um tronco de videira seco; e sem fazer observação alguma sobre esta ordem excêntrica, Rita executou-a prontamente. E durante muito tempo, em horas determinadas, entregou-se com alegria a esta ocupação, que no entanto lhe podia parecer inútil. Esta observância foi tão agradável a Deus, que a recompensou visivelmente; pois que a seiva circulou de novo na cepa árida que reverdeceu e se cobriu de folhas e frutos, por isso a denominaram a ”Videira de Santa Rita”. E esta videira continua a produzir deliciosas uvas, que têm o sabor de moscatel, e em nenhuma parte da região encontra-se coisa semelhante. As Agostinhas de Cássia fazem secar as folhas dessa videira e pulverizando-as, enviam-nas, aos doentes que as aplicam como seu remédio, e têm sido a causa de numerosas curas. Rita impôs-se um género de vida que faz estremecer a nossa pobre natureza, e assim se elevou ao maior grau de perfeição! Depois de trinta anos de uma vida penitente, Rita entra em sua cela, ajoelha aos pés do crucifixo, suplica com lágrimas ao seu Esposo divino que a fizesse participar dos sofrimentos da sua Paixão. A sua oração foi subitamente atendida: um espinho desprendeu-se da coroa do Crucificado e veio ferir a fronte da Santa provocando-lhe uma tão viva dor, que só por um milagre a podia suportar. Rita sofreu com isto durante 15 anos, sofreu na sua fronte o estigma da Paixão de Jesus Cristo, sob a forma duma ferida largamente aberta e sempre dolorosa. Antes de deixar este vale de lágrimas, a bem-aventurada alegrou-se muito com a visita da Santíssima Virgem e do Menino Jesus, que a vieram convidar para o reino do Céu. Foi beatificada em 22 de Maio de 1457, sob o pontificado de Calixto III. Recorramos pois com toda a confiança à protecção valiosa de Santa Rita! Ela é a ”Advogada das causas desesperadas e a Santa dos impossíveis”.

Milagres da Santa Rita:
Em 1897, um tumor no joelho atormentava, desde os primeiros anos , a filha de Sebastião Glanulli, negociante em Bari. Os médicos da Cidade não concordavam sobre a natureza do mal. Porém o célebre prático, José Zuccaro, reconheceu a terrível moléstia da cárie dos ossos, e decidiu que era indispensável uma operação. A operação era difícil, dolorosa e cheia de perigos. A família, consternada, recorreu à oração, e, por recomendação duma religiosa, todos fizeram uma novena a Santa Rita; porém a graça ainda não fora obtida. A tíbia foi completamente destacada do fémur, e a rótula do joelho via-se quase completamente levantada; era horroroso, porque a articulação tornou-se impossível. Os médicos não prometeram a cura, mas grandes dores, e a pobre criança sofria, cruelmente. A febre não a deixava, a maior fraqueza invadia-a e mal podia gritar… No dia seguinte a jovem, que não abria a boca senão para gemer, pediu a imagem de Santa Rita e disse:
– Oh! Santa Rita, curai-me, porque enquanto meus pais faziam a novena eu ficava distraída e fiz pouco caso em vos suplicar; mas agora confesso o meu erro e vos peço perdão. Curai-me, porque não tenho mais forças para sofrer.
De repente, olhando para as pessoas que estavam junto do leito, exclamou:
– Afastem-se, ela vem aí.
Então responderam-lhe:
– Quem é que vem?
– Uma Religiosa.
-De onde vem ela?
-Daquele lado.
-Mas que faz ela aqui?
-Rodeia o meu leito e assenta-se agora perto de mim.
A jovem ficou então imóvel, como se estivesse ouvindo uma conversa, e pouco depois disse consigo:
-Oh! como pelo auxílio dos Santos Médicos ela me revigorou a perna, me tocou com suas mãos e estou curada!.
Voltando-se depois para os assistentes, que choravam, prosseguiu:
-Não chorem mais, alegrem-se; não vêem quanto sou feliz, por haver obtido um tão grande favor? Não sofro mais. A bem-aventurada Rita disse-me que dentro de três dias estarei completamente boa e com a perna que estava doente poderei andar, saltar e correr sem cansaço algum.
E com efeito a jovem, ao cabo de três dias, levantou-se completamente curada. Mas, coisa maravilhosa! a perna da qual tinham serrado pedaços de ossos, durante a operação, achou-se em seguida do mesmo comprimento que a outra e do mesmo modo sã e flexível. Profundamente reconhecidos de uma tão grande graça, os pais cumpriram os votos feitos à prodigiosa Santa, e todos puderam constatar que a jovem curada tão prodigiosamente, andava como se nada tivesse sofrido.

Cura de olhos
Em 1854 um cego, João Baptista dos Anjos, havendo rezado durante algum tempo diante do corpo desta Santa, recuperou logo a vista.
O mesmo prodígio se renovou a 18 de Julho, em favor de Lúcia dos Santos, que depois de uma quinzena de visitas ao túmulo da Santa Rita, recuperou a vista perdida num dos olhos.
Em Março de 1887 Maria Soria, residente em Conversano, obteve de Santa Rita um favor notável que atestou da forma seguinte: ”Tinha um dos olhos feridos; consultadas as sumidades médicas declararam que era necessária uma operação. Então preferi recomendar-me à Bem-aventurada Rita, que, depois de várias novenas, me sarou completamente”.

O Pão Bento de Santa Rita, 
O pão que as religiosas de Cássia fazem benzer no dia da festa desta Santa , a 22 de Maio, e que se torna incorruptível, tem acalmado tempestades, sarando enfermos, etc.
Em 1887, Giovani Biscozzi, de Massafra, estava atacado havia muito tempo de uma cruel enfermidade. Os médicos pensavam que era um mal de coração incurável; o menor movimento causava-lhe dores agudas. Sua tia, religiosa em São Cosme de Conversano, soube-o e mandou-lhe um pão bento de Santa Rita, aconselhando-o a tomar cada dia uma pequena porção e a beber um pouco de água em memória dos jejuns da Santa, e a recitar três vezes uma Glória Patri uma Ave Maria e a invocação :”Santa Rita, roga por mim!”
O doente assim o fez imediatamente. Sentiu logo os efeitos de sua confiança, porque recuperou prontamente a sua primitiva saúde.Como testemunho de reconhecimento enviou ao mosteiro uma quantidade de azeite para a lâmpada da milagrosa Santa.

Oração:
Minha grande protectora, gloriosa Santa Rita de Cássia, remédio de todos os aflitos, com o mais cordial afecto, vos peço e rogo, em honra do Sacratíssimo Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo em memória do espinho que tivestes, na fronte e da chaga que nele pacientemente sofrestes, me alcanceis de Vosso Divino esposo a graça que nesta aflição vos peço. ( Aqui pedirá cada um o que pretende). Dignai-vos pois, favorecer a minha súplica vós que resolveis as dificuldades, vós que estais sempre pronta a ouvir-nos e que por vossos merecimentos, sempre conseguis do tribunal divino despacho favorável aos pedidos humanos. A esta aflita criatura que recorre à vossa intercessão, e que dos trabalhos e angústias deste triste vale de lágrimas, se acolhe à vossa piedade; ajudai-a, valei-lhe, patrocinai-a, assisti-lhe, favorecei-a, dai-lhe remédio e amparo nas aflições, socorrei-a, sacudi-lhe e defendei-a em todos os perigos da alma e do corpo. Ámen.

Oração a Santa Rita nas tribulações

Oprimido sob o peso da dor e das angústias, eu recorro a vós, ó gloriosa Santa Rita, ”a Santa dos impossíveis”, com toda a confiança de ser atendido na minha oração. Eu vos suplico: livrai o meu pobre coração da pena que o oprime, e restitui a paz a meu espírito. Falta-me todo o socorro humano; mas confio plenamente em vós, que fostes escolhida por Deus, para serdes a advogada das causas desesperadas. Serei eu o único que não entoe o hino do reconhecimento? Se os meus pecados são um obstáculo ao cumprimento dos meus desejos, obtende-me de Deus a misericórdia e o perdão. Não permitais, que eu permaneça por mais tempo nas angústias e nas lágrimas, mas dignai-vos corresponder à confiança que tenho no vosso poder, e eu farei conhecer a vossa bondade e a vossa compaixão pelos infelizes. Assim seja.
Ó gloriosa Santa Rita, admirável Esposa de Jesus Crucificado, orai agora e sempre pelas minhas numerosas necessidades.
(3 Ave-Maria e 3 Glória ao Pai)

Oração indulgenciada a Santa Rita

Gloriosa Santa Rita, vós que tão maravilhosamente participastes da dolorosa Paixão de  N. Senhor Jesus Cristo, obtende-me que sofra com resignação as penas desta vida, e protegei-me em todas as minhas necessidades. ( 300 dias de indulgência, uma vez por dia, concedidas por Pio X, em 11 de Agosto de 1906).

Responsório

De Rita os milagres buscas?
Febres, peste, lutulenta,
Chagas, granizo afugenta.
Trovões, granizo afugenta

Cegos vêem, surdos ouvem,
Coxos andam, mudos falam,
Filhos tem quem pede prole
Da campa mortos se abalam.

Nem terramotos mal fazem,
Nem fulmíneas labaredas;
Incêndios, perigos cessam,
Cadeias, insídias tredas.

Cegos vêem, …etc.

De Santa dos impossíveis
A Rita chamam Hispanos,
Milagres que estranhos narrem
E apregoem Cassianos.

Cegos vêem,….etc.
Glória ao Pai, ao filho e ao Espírito Santo.
Cegos vêm…etc.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s