Amados pelo Amor, Isabel da Trindade

Nascida a 18 de Julho de 1880, em Avor, perto de Bourges, Isabel Catez, uma jovem francesa, com um coração sedento de Deus, entra para o Carmelo de Dijon, aos vinte e um anos, para terminar a sua vida sobre a terra a 9 de Novembro de 1906, com vinte e seis anos, consumada de amor por Deus , e vitima da doença de Addison.
A 25 de Novembro de 1984, na basílica de São Pedro, em Roma, o Papa João Paulo II beatificou a jovem carmelita francesa Isabel da Trindade. Sua mensagem é luminosa, sua santidade é traduzida nas seus escritos , e sua procura radical de Deus, sua ternura humana, seu carisma particular de união profunda com Deus, mais de forma simples  intima e rica. Isabel trindade é guia muito seguro nos caminhos interiores para Deus.

Vamos colocar aqui uma pequena amostra de seus escritos e ensinamentos doutrinais, trata-se de uma obra com uma mensagem profundamente cristã, estes pensamento podem ajudar aqueles que procuram enraizar sua fé, e ajudar aos que procuram uma intimidade com Deus. Os escritos de Isabel Trindade faz nos mergulhar no coração de Deus e provoca em nos um tempo para meditação.

Resultado de imagem

Estão divididos em duas partes: 1- Vós sois a Casa de Deus. 2- Por seu amos tudo perdi.

1-Vós sois a casa de Deus, é uma maneira de Isabel caracterizar a maneira de São Paulo de dizer ”vós sois o templo de Deus”(1 Cor 3,16). Para Isabel, é viver no seio da Trindade Santa de forma tranquila, no seu abismo interior, numa fortaleza inexpugnável, do santo recolhimento, de que fala São João da Cruz. Amada pelo amor desde o baptismo viveu a grandeza de sua vocação como filha de Deus e da Igreja, orando, amando, e sofrendo continuamente pelos outros.

Isabel Trindade deixou-nos um testamento espiritual, na pessoa de sua irmã Guida, a seguinte mensagem: ”Deixo-te a minha devoção pelos Três, pelo ”Amor”. Vive, no interior, com Eles no céu da tua alma… Eu serei”Laudem gloriae” perante o trono do Cordeiro, e tu”Laudem gloriae” no centro da tua alma… Vivamos no Amor e para glorificar o Amor”(Ct.269).

FRAGMENTOS, PENSAMENTOS E EXTRACTOS DA EDIÇÃO INTEGRAL:
”-Sou amada, tudo começa aqui. ”Há um Ser que é o Amor”(Ct. 326).
-Ele é o meu Infinito, n’Ele amo, sou amada e possuo tudo. (Ct.117).
-”Ele é o Pai, e ainda que uma mãe esquecesse o seu Filho, Ele nunca nos abandonará. (Ct. 296).
-”Compreenderemos alguma vez quanto somos amados?” (Ct. 191).
-”Ele ama-te hoje como te amava ontem, como te amará amanhã.” (Ct. 298).
-Aquele que é uma imensidade de amor e que nos transborda por todas as partes..’.'(Ct.199).
-”Aquele que nos ama com um amor que nunca poderemos compreender!”(Ct.142).

-Porque me amou tanto?…Sinto.me tão pequena, tão cheia de miséria, mas amo-o, só sei fazer isto, amo-O com o seu amor, é uma dupla corrente entre Aquele que é e aquela que não é!”(Ct. 131).

-”Sinto-me envolvida no mistério da caridade de Cristo, e quando olho para trás, vejo como que uma divina perseguição sobre a minha alma; Oh! quanto amor, estou como que esmagada por este peso, então calo-me e adoro!…(Ct. 151).

Segunda pessoa da Trindade Jesus:
-”A alma de Cristo. Ele confia-me todos os segredos do Pai”(NI 12)
Ó mistério incompreensível!
Jesus, Forte, o Todo Poderoso.
O Deus escondido, o Inacessível
Por nós se faz pequena criança.(P.96).

-Quando o peso do corpo se faz sentir e fatiga a alma, não desanimeis, mas pela fé e pelo amor, acudi Àquele que disse:”Vinde a mim e eu vos aliviarei”(Ct. 249).
-Oh! que bom seria, como me dizeis, viver desta vida da Trindade que Jesus Cristo nos veio trazer. Ele disse tantas vezes que era a Vida, e que vinha para no-la dar em abundância.(Ct.199).

-”Se somos fiéis em viver da sua vida, se nos identificarmos com todos os movimentos da alma do Crucificado, com toda a simplicidade, então não temos mais por que temer as nossas fraquezas, porque Ele será a nossa força, e quem pode separar-nos d’Ele?”(Ct.156).

-”Deus esta sempre à porta , Ele busca-nos sempre.” Ele quer ser o Amigo que podes encontrar sempre. Permanecer à porta do teu coração… Ele espera…Abre-lhe!(Ct.174).
-”Ele está muito perto de ti, o seu amor envolve-te. Ele quer ser o Amigo de todos os instantes, ajudar-te-à na missão que tens a cumprir”(Ct.212).

-”Entregai-vos a esta Plenitude do Amor, ”Ser vivo”, que deseja viver em comunhão convosco!(Ct. 336).

-”Não o deixemos só neste santuário que é a nossa alma, pensemos em todo o momento que Ele está lá e que tem necessidade de ser amado”.(Ct. 149).

-”Li que” o mais santo é o que ama mais, é o que olha mais a Deus e que satisfaz mais plenamente as necessidades do seu olhar”. Seja este o nosso programa.(Ct.293).

-”Ele está sempre vivo, actuando sempre em nossa alma; deixe-mo-nos construir por Ele e que Ele seja a Alma da nossa alma, a Vida da nossa vida, para que possamos dizer com São Paulo:”Para mim viver é CRISTO”.(Ct.145).

-”Quanto mais nos damos a Deus, mais Ele se dá também a nós. Compreendo-O melhor cada dia”.(Ct.236).

-”Pensa bem que no seu amor Ele tem os seus desígnios sobre ti, e que se te pede tantos sacrifícios é para te dar muito.”(Ct.154).

-”Oh! como seria feliz se o meu Mestre quisesse que eu derramasse também o meu sangue por Ele! Mas o que sobretudo lhe peço é esse martírio de amor que consumiu a minha santa Madre Teresa, que a Igreja proclama ”vítima de caridade”. E visto que a Verdade disse que a maior prova de amor era dar a sua vida por aquele que se ama, eu dou-Lhe a minha. Desde há muito que é d’Ele para que dela faça o que lhe agrada, e se não sou mártir de sangue, quero sê-lo de amor!(Ct. 287).

-”A vida é algo sério: cada minuto nos é dado para nos ”enraizar” mais em Deus, segundo a expressão de S. Paulo, para que a semelhança com o divino Modelo seja mais forte, a união mais íntima. Mas, para realizar este plano, que é o de Deus, eis o segredo: esquecer-se, deixar-se, não se ter em conta, olhar o Mestre, e só a Ele, receber igualmente, como vindas directamente de seu amor, a alegria ou a dor. Isto estabelece a alma em alturas tão serenas!…(Ct.333).

”-Ele pôs no meu coração uma sede de infinito e uma tão grande necessidade de amar que somente Ele pode saciar.”(Ct.169).

”O  amor é algo de infinito e no infinito pode-se sempre ir mais longe!(Ct.192).

Nunca sereis banal, se estiverdes desperta no amor!(DA. 6).

”Quero levar-te mais alto do que o que morre, ao seio do Amor infinito.”(Ct.298).

”Alimenta a tua alma com os grandes pensamentos da fé que lhe revelam toda a sua riqueza e o fim para que Deus a criou!(GV. 11).
”É o Amor, este Amor Infinito que nos envolve e nos quer associar, já neste mundo, a todas as suas beatitudes. É toda a Trindade que mora em nós, todo este mistério que será a nossa visão no Céu.”(Ct. 172).

”Revela-nos que não temos necessidade de sair de nós para o encontrar: ”O reino de Deus está dentro!”(CF.5).

”Parece-me que encontrei o meu Céu na terra, porque o Céu é Deus, e Deus é a minha alma. No dia em que compreendi isto, tudo em mim se iluminou e gostaria de dizer baixinho este segredo àqueles que amo para que também eles em tudo adiram sempre a Deus e que se realize esta prece do Cristo: ”Pai, que eles sejam consumados no Uno”(Ct.122).

”Se pretende ser inteiramente d’Ele neste mundo, isso é tão simples: Ele está sempre consigo, esteja então sempre com Ele, em todas as acções, nos sofrimentos, quando o seu corpo estiver cansado fique ainda sob o seu olhar, contemple-o presente, vivo em sua alma.”(Ct.138).

”Mesmo no meio do mundo, podemos escutá-lo, no silêncio dum coração que só quer ser d’Ele!(Ct.38).

”Vivei com Ele, onde quer que estejais, em qualquer coisa que façais”. (Ct. 291),
”Enquanto o teu corpo descansa, pensa que Ele é o repouso da tua alma, e que, como uma criança gosta de estar nos braços da sua mãe, encontras o teu repouso nos braços desse Deus que te envolve por todas as partes”.(Ct.301).

”Oferece-Lhe todos os teus sofrimentos: é uma boa maneira de te unires a Ele e uma oração que lhe é muito agradável”.(Ct.301).
”Faço tudo com Ele. Por isso faço tudo com uma alegria divina; quer varra, quer trabalhe, quer ore, encontro tudo agradável e delicioso, porque em qualquer parte vejo o meu mestre!(Ct.139).

”Unamo-nos para fazer dos nossos dias uma comunhão contínua. Pela manhã, despertamos no Amor; durante todo o dia entreguemo-nos ao Amor, quer dizer, fazendo a vontade de Deus, sob o seu olhar, com Ele, n’Ele, somente por Ele”.(Ct. 172).

Vivendo o nada:

”Um abismo chama por outro abismo”. É ai, no mais profundo, que se operará o choque divino, que o abismo do nosso nada, da nossa miséria, se encontrará frente a frente com o abismo da misericórdia, da imensidade do tudo de Deus. É aí, que havemos de encontrar a força para morremos para nós mesmos e que, ao perder o nosso próprio rasto, seremos transformados em amor…(CF. 4).

”Ele mora no centro mais íntimo da sua alma, como num santuário onde sem cessar quer ser amado até à adoração. Permanece lá para a encher de graças.”(Ct.261).

”Sejamos tudo para Ele, deixemo-nos invadir pela seiva divina, que Ele seja a Vida da nossa vida, Alma da nossa alma e permaneçamos dia e noite conscientes sob a sua divina acção”.(Ct. 124).

”Esqueça-se de si tanto quanto puder, é esse o segredo da paz e felicidade. S. Francisco Xavier exclamava: ”O que me toca não me toca, mas o que O toca, toca-me muito intensamente”. Ditosa a alma que chega a este despojamento total, pois ama de verdade!…(Ct.264).

”Digamo-lhe o nosso amor em todos os nossos actos, fazendo sempre o que lhe agrada, e Ele não nos deixará sós, mas permanecerá no centro da nossa alma para ser Ele mesmo a nossa felicidade.”(Ct.252).

”Seja fiel às suas resoluções, exercite-se na via do sacrifício e da renúncia”.(Ct.278).

”Pela humildade a alma sabe reconhecer em si os seus dons, porque a humildade é verdade. Mas de nada se apropria, pois tudo refere a Deus, como fazia a Virgem Santa.”(GV. 4).

”Talvez lhe pareça difícil esquecer-se….Vou dar-lhe o meu ”segredo”: pense neste Deus que habita e de que é o templo; é S. Paulo quem assim fala, podemos acreditar nele. Pouco a pouco a alma habitua-se a viver na sua doce companhia, começa a compreender que traz em si um pequeno Céu em que o Deus de amor fixou a sua morada.”(Ct.249).

”O sinal pelo qual reconhecemos… que o Seu amor possui, é receber não só com paciência, mas também com agradecimento o que nos fere e faz sofrer. Para o conseguir, é preciso contemplar o Deus crucificado por amor, e esta contemplação, se é verdadeira, termina infalivelmente no amor ao sofrimento”.(Ct. 314).

Advertisements